www.jornaldenegocios.ptjornaldenegocios.pt - 12 out 12:00

Primeiro ‘trader espacial’ está de olho num setor de 43 mil milhões de dólares

Primeiro ‘trader espacial’ está de olho num setor de 43 mil milhões de dólares

Quero que o espaço se torne uma indústria em si mesma, afirmou Masatoshi Nagasaki.

O negócio de fabrico e lançamento de pequenos satélites deverá quase quadruplicar na próxima década, com vendas de  42,8 mil milhões de dólares, criando uma oportunidade para quem procura lucrar com o aumento do comércio entre empresas do setor.

Um deles é Masatoshi Nagasaki, o primeiro autodenominado operador espacial do mundo.

Com 39 anos, Nagasaki não trabalha numa nave espacial, viajando de planeta em planeta como um personagem de um romance de Isaac Asimov. Em vez disso, o trader trabalha no sétimo andar de um prédio que se tornou um centro para start-ups com foco no espaço. Nagasaki já fechou contratos com a agência espacial japonesa para intermediar lançamentos de satélites.

"As empresas espaciais precisarão de traders", disse Nagasaki. "Quero que o espaço se torne uma indústria em si mesma."

A Space BD, start-up de Nagasaki, quer tornar-se um balcão único para empresas que procuram crescer no mercado de foguetes, oferecendo consultoria técnica e estabelecendo uma ponte com operadoras de lançamento. Os intermediários são necessários para industrializar e desenvolver negócios, afirmou Nagasaki.

A Space BD fechou contratos para a implantação de pelo menos 15 pequenos satélites, incluindo o seu primeiro acordo no exterior com um instituto de investigação académica na Austrália. Uma parceria entre a Universidade de Sydney, a Universidade de Nova Gales do Sul e 10 outras instituições trabalha com a Space BD para lançar o CubeSats, os minissatélites padronizados e quadrados usados para recolher informações no espaço.

Outro cliente é o Ryman Sat Project, que visa tornar os empreendimentos espaciais mais acessíveis. Fundado por um grupo de assalariados, a ideia é facilitar aos empresários comuns oportunidades de vendas e investimentos além da estratosfera.

Nagasaki ganhou o seu contrato com a JAXA, agência espacial do Japão, um ano depois do lançamento da Space BD, em 2017. É o primeiro provedor de serviços comerciais a implantar pequenos satélites a partir de um módulo de laboratório construído no Japão, na Estação Espacial Internacional. A start-up tem 16 funcionários, com planos de triplicar este número em três anos.

A Space BD foi lançada com 100 milhões de ienes de financiamento da empresa japonesa de capital de risco Incubate Fund, que, juntamente com a Anniversaire Holdings, investiu outros 200 milhões de ienes no negócio. Nagasaki tem planos de cotar a empresa em cinco anos.

(Texto original: World’s First Space Trader Scopes Out a $43 Billion Industry)

1
1