desporto.sapo.ptdesporto.sapo.pt - 12 out 09:30

Análise: Portugal cumpre e volta a vencer em Alvalade, 12 anos depois

Análise: Portugal cumpre e volta a vencer em Alvalade, 12 anos depois

Num estádio onde Portugal não vencia desde 2007 (4-0 frente à Bélgica na qualificação para o europeu de 2008).....Fernando Santos mexeu nas peças e promoveu quatro alterações ...

Num estádio onde Portugal não vencia desde 2007 (4-0 frente à Bélgica na qualificação para o Europeu de 2008), a Seleção Nacional inverteu a tendência e venceu por 3-0 com golos de Bernardo Silva, Cristiano Ronaldo e Gonçalo Guedes.

Fernando Santos mexeu nas peças e promoveu quatro alterações face ao último onze apresentado, frente à Lituânia: Cancelo, José Fonte, William Carvalho (dispensado da equipa nacional na noite anterior ao jogo) e Rúben Neves, deram lugar a Nélson Semedo, Pepe, Danilo e João Moutinho.

Numa primeira parte, jogada quase na totalidade virada para a baliza luxemburguesa, Portugal começou à procura do golo desde o primeiro momento.

Ronaldo foi primeiro a tentar a sua sorte aos três minutos, mas com a bola a sair muito ao lado da baliza de Moris.

Alvalade ficou a pedir (as primeiras) duas grandes penalidades após lances sobre Bernardo Silva e Cristiano Ronaldo. Daniel Stefanski mandou jogar.

João Félix ia à procura do seu primeiro golo e aos 15 minutos teve a sua melhor hipótese.  Graças a um grande passe de Bernardo Silva, o jovem do Atlético de Madrid, dominou o esférico dentro da grande área, com o remate a sair próximo do poste direito.

Mas o golo de Portugal acabaria mesmo por surgir, numa jogada a envolver os dois melhores jogadores do primeiro tempo: Nelson Semedo surgiu pela direita, Moris ainda tentou a mancha mas não conseguiu ficar com a bola, que sobrou para Bernardo Silva que, com o guarda-redes adversário fora da baliza, chutou para o primeiro golo da partida.

Estava feita a primeira explosão de alegria em Alvalade.

Com o golo, os campeões europeus tiraram o pé do acelerador, ainda assim, estiveram sempre muito mais próximos do segundo golo que o Luxemburgo do primeiro.

Só a meio da primeira parte, com duas oportunidades de Thill, os visitantes criaram perigo, primeiro a atirar à malha lateral, depois a obrigar Rui Patrício a pôr ‘mãos à obra’.

Após o intervalo, Portugal recomeçou o jogo a atacar, numa segunda parte mais conseguida.

Bruno Fernandes aos 49 e Ronaldo, aos 51, com um pontapé de bicicleta, e novamente aos 58 tentaram chegar ao segundo golo sem sucesso.

O capitão da seleção, o melhor em campo, ia à procura do golo que o colocasse mais próximo do golo 100 pela seleção.

Tanta vez foi à baliza que, finalmente, o capitão fez o gosto ao pé: só com Moris pela frente, Ronaldo fez o chapéu e um golaço que fez jus aos elogios de Fernando Santos na conferencia de antevisão. Este jogador “de outra galáxia” ficou a um tento do golo número 700 na sua carreira.

O Luxemburgo ia tentando responder, mas sem sucesso e era Portugal quem ia chegando com perigo, com várias incursões na grande área.

Aos 70, mais uma grande penalidade que ficou por marcar após Bernardo Silva ser travado na grande área.

Fernando Santos mexeu pela primeira vez na equipa, aos 77 minutos, com a saída de Bernardo Silva para a entrada de Gonçalo Guedes.

Numa segunda metade em que o domínio português era claro, o Luxemburgo fez uma das suas melhores jogadas: Sinani, aos 81, rematou para defesa fácil de Rui Patrício.

João Félix, que viu adiado o seu primeiro golo pela seleção, saiu aos 87, sob enorme ovação da plateia, para a entrada de João Mário, que não jogava pela seleção desde março.

Mas quem não viu o golo adiado foi Gonçalo Guedes. Canto batido à esquerda por Rúben Neves, que tinha acabado de entrar para o lugar de João Moutinho, e no ressalto o ribatejano fez abanar a baliza pela terceira vez, aos 89 minutos.

O 3-0 foi o resultado que perdurou até ao apito final, num jogo em que a seleção lusa foi claramente superior sem precisar de grande esforço e em que Rui Patrício teve pouco trabalho.

Com este resultado a seleção mantém-se no segundo lugar do grupo B de qualificação para o EURO 2020, atrás da Ucrânia que venceu em Kiev a Lituânia por 2-0 e soma 16 pontos, mais cinco que Portugal.

E agora segue-se, precisamente a Ucrânia, com um olho no jogo da Sérvia com a Lituânia: se Portugal vencer e a Sérvia não ganhar, o lugar no Campeonato da Europa está garantido.

O MELHOR: Cristiano Ronaldo

O capitão entrou em campo com o objetivo de encurtar a distância para o centésimo golo pela seleção (talvez até tenha pensado mesmo em o ultrapassar) e fez o segundo golo (e que golo!) da seleção nacional numa altura em que CR7 era o elemento que mais calafrios provocava aos luxemburgueses.

O que não admira tendo em conta a marcação cerrada feita ao capitão português durante maior parte do jogo.

O PIOR: Daniel Stefanski

O árbitro da partida só foi ao bolso duas vezes para mostrar cartolina amarela a jogadores luxemburgueses (Barreiro Martins e o luso-luxemburguês Gerson Rodrigues), mas existiram vários lances passiveis de serem punidos com o castigo máximo, nomeadamente o lance sobre Ronaldo aos 75, que segundo Fernando Santos era penalti.

 O MOMENTO: o golo de Ronaldo

Palavras para quê…

Reações

Fernando Santos: "Jogo com a Ucrânia é fundamental"

João Moutinho: "O primeiro lugar é o objetivo e é isso que vamos fazer"

Bruno Fernandes e as polémicas: "A minha família nunca me deixa cair"

Nélson Semedo: "Houve uma altura em que baixámos um pouco o ritmo"

Gonçalo Guedes: "Há muita qualidade nesta seleção"

1
1