expresso.ptDaniel Oliveira - 11 out 18:19

A direita atrasada para o século XXI

A direita atrasada para o século XXI

Enquanto o PSD é um partido sem identidade, o CDS é um partido com demasiadas identidades. A sociologia do eleitorado de direita mudou e os dois partidos não conseguiram acompanhar essa mudança. A direita ficou paralisada, sem que nada mudasse nela em quase meio século. Falta a direita fazer o que a esquerda fez e continua a fazer: adaptar-se às novas clivagens

Dê as voltas que der, Rui Rio não conseguiu mobilizar o eleitorado de direita. Nem depois de Tancos. Nem perante uma monumental derrota do CDS. PSD e CDS conseguem menos 230 mil votos, menos 2,4 pontos percentuais e quase menos dez deputados do que Pedro Passos Coelho e Paulo Portas. E Pedro Passos Coelho foi responsável por um pacote de austeridade de dimensões nunca vistas na nossa democracia. Rio também não contrariou o aprofundamento da decadência do PSD nos meios urbanos, sobretudo em Lisboa, Porto e Setúbal. Se isto ditará a morte política de Rio só as guerras de barões e baronetes laranjas ditarão. Já começaram.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler (também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso).

Torne-se assinante

1
1