Boris Johnson disse que os protestantes eram "sem-abrigo não cooperativos" e que deveriam abandonar as suas "tendas com cheiro a canábis".