eco.sapo.pteco.sapo.pt - 9 out 20:29

Manuel Santos Vítor:“Sou um apaixonado pela minha profissão”

Manuel Santos Vítor:“Sou um apaixonado pela minha profissão”

Manuel Santos Vítor é o advogado do mês da edição de setembro da Advocatus. Com mais de 30 anos de experiência, garante que os profissionais e as sociedades têm de “abraçar” as mudanças tecnológicas.

O mundo de transferências no setor da advocacia está imparável. Recentemente, Manuel Santos Vítor abandonou a sociedade de advogados PLMJ para integrar o quadro de sócios da Abreu Advogados. Uma saída inesperada após três décadas ao serviço da sociedade liderada por Luís Miguel Pais Antunes.

O advogado integrava a equipa da PLMJ desde 1989, altura em que terminou o seu curso na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Nove anos depois ascendeu a sócio daquela sociedade e mais tarde assegurou a gestão durante vários anos, chegando à posição de managing partner por dois anos. Foi o responsável ainda pelo desenvolvimento da área internacional da sociedade.

Senti que era o momento de abraçar um novo projeto” conta Manuel Santos Vítor à Advocatus sobre a saída da PLMJ. “Esta sociedade [Abreu Advogados] seduziu-me com a sua ambição, modernidade e elevado profissionalismo dos colegas em todas as áreas de direito. Os clientes e matérias com que costumo trabalhar impunham que abraçasse um projeto com estas características. Tudo isso se tem vindo a confirmar e acresce a enorme qualidade das relações pessoais e respeito profissional”, explica o advogado.

Nova etapa profissional

O início da nova jornada na Abreu Advogados está a ser “cheio de trabalho”. O novo sócio da Abreu integrou-se rapidamente devido “à ajuda e enorme disponibilidade dos colegas e excelente estrutura da Abreu Advogados” e ainda “por não haver diferenças em relação ao ambiente organizacional e tecnológico em que estava habituado a trabalhar”.

Manuel Santos Vítor conta que muitos dos clientes com quem trabalhava mantiveram a confiança nele e acompanharam-no para o novo projeto, o que impossibilitou que tivesse tempo para “licenças sabáticas ou algo do género”.

Com mais de 30 anos de experiência, assume que o principal desafio que atualmente enfrenta na sua carreira é o mesmo de sempre, “fazer o melhor trabalho possível para que os clientes se sintam satisfeitos, ajudar a que cheguem aos resultados pretendidos, para que renovem a sua confiança”. O advogado acrescentar ainda que respeitar os colegas, as normas da profissão e o Direito e a Justiça são outros pontos a ter sempre em consideração.

Para Manuel Santos Vítor, “esta é uma profissão de homens e mulheres livres. Os clientes contratam-nos porque esperam que sejamos bons profissionais e tenhamos uma enorme franqueza com eles”.

À Advocatus admite que os jovens chegam ao mercado de trabalho “bem preparados, ambiciosos e com vontade de serem advogados, tal como há 30 anos”. Sobre o ensino refere que “as universidades têm aproveitado a acrescida mobilidade e globalização. Há um enorme esforço no sentido de se manterem atualizadas e competitivas e propiciarem condições de ensino e níveis de exigência como nas melhores faculdades estrangeiras”.

Para o sócio da Abreu Advogados as mudanças de paradigma advém do “recurso acrescido a tecnologias, a formação em inglês (a língua franca dos negócios e também do direito), a interação das principais faculdades com faculdades de direito de outros países, partilhando conhecimentos, métodos, docentes, alunos, desenvolvendo projetos conjuntos”.

Corporate e M&A

O sócio da Abreu Advogados centra a sua prática na área de corporate (comercial e societário) e M&A, prestando apoio a importantes grupos empresariais, nacionais e estrangeiros. “Há felizmente uma enorme atividade de M&A nos mais diversos setores sobretudo nas áreas tecnológicas, energia, imobiliário, turismo e hotelaria. Esperamos que assim continue bem sabendo que somos uma pequena economia aberta e, portanto, muito dependente do que se passa lá fora”, explica o advogado. Manuel Santos Vítor acrescenta ainda que “os investidores são empresas estrangeiras com interesse num país estável, seguro e sem grandes sobressaltos no sistema jurídico. Não podemos estragar o que temos de melhor”.

A sua vasta experiência em corporate e M&A engloba ainda o setor dos seguros e da aviação. Nos últimos tempos tem também desenvolvido atividade nos setores de energia, nomeadamente renováveis e oil & gas, e recursos naturais, em Portugal e África, sobretudo em Angola, Moçambique e Guiné-Bissau. “É necessário um esforço contínuo para estar a par dos desenvolvimentos jurídicos nessas jurisdições. É também necessário entender que há, por vezes, diferenças assinaláveis entre o que uma lei prevê expressamente e a forma como a mesma é interpretada e aplicada”, explica Manuel Santos Vítor.

Desafios da profissão

Numa era demarcada pela inteligência artificial e por um desenvolvimento acentuado das novas tecnologias e das estratégias de marketing, o sócio da Abreu Advogados defende que os profissionais e as sociedades têm de “abraçar” as mudanças, sem nunca desrespeitar “as normas éticas e profissionais” que vinculam os mesmos. “Há enorme concorrência em Portugal e nessas jurisdições com sociedades estrangeiras, muitas delas enormes, globais e com projetos de excelência. Temos de ser competitivos com essas sociedades e conseguimos sê-lo”, assegura o advogado.

Se tivesse a oportunidade de voltar atrás no tempo e mudar de área, Manuel Santos Vítor garante que “faria tudo de novo” demonstrando o seu amor pela profissão e pelo o que faz diariamente. “Trabalho muito, aprendo com diferentes clientes e colegas todos os dias numa profissão que exige muito de nós, é muito intensa mas também muito aliciante e motivadora”, explica o sócio da Abreu Advogados.

1
1