expresso.ptexpresso.pt - 9 out 18:53

Mais de 20% do universo estudantil da Universidade do Porto são estrangeiros. “Intercâmbio é brain gain para o país”, garante reitor da UP

Mais de 20% do universo estudantil da Universidade do Porto são estrangeiros. “Intercâmbio é brain gain para o país”, garante reitor da UP

Universidade do Porto prepara-se para receber, neste ano letivo, mais de 6000 estudantes internacionais, oriundos de 90 países. António de Sousa Pereira afirma que a atração de alunos estrangeiros é fundamental para a promoção externa do Porto e do país junto de um público com potencial de influência

A Universidade do Porto (UP) prevê ultrapassar, no ano letivo 2019/2020, a barreira inédita dos 6 mil estudantes internacionais. Brasil, Itália, Moçambique, Rússia ou Índia são alguns dos mais de 90 países de origem dos estudantes que, ano após ano, chegam para frequentar um curso completo – licenciatura, mestrado integrado ou doutoramento – ou para realizar um período de estudos na instituição no âmbito de programas de mobilidade internacional.

Brasil, Itália, Espanha, Moçambique e Alemanha são os países com o maior contingente de alunos que procuram a academia portuense, juntando-se a este 'top 5' de nacionalidades países como Coreia do Norte, Japão, Bangladesh, Síria, China, entre outros. Já entre as faculdades que mais estudantes acolhem, destacam-se Engenharia, Letras, Ciências, Economia e Belas Artes.

Atualmente, a UP conta com 5249 estudantes internacionais, estando ainda universo por contabilizar os candidatos de mobilidade que chegarão no 2.º semestre do ano. “A Universidade prevê ultrapassar, ainda este ano letivo, a barreira dos 6 mil estudantes internacionais, correspondentes a mais de 20% de toda a comunidade académica”, refere António de Sousa Pereira, que defende que, hoje, o desenvolvimento de um país depende muito da sua capacidade de atrair, formar e reter talento.

Ao Expresso, o reitor da UP lembra que a captação de talento internacional é estimulada pela globalização e pelos programas de mobilidade académica, “principalmente o Erasmus", adiantando que, no ensino superior, a OCDE estima que o número de estudantes internacionais irá saltar dos 4,5 milhões registados em 2012 para os cerca de 8 milhões em 2025. “É neste contexto de forte globalização que as instituições de ensino superior competem entre si pela atração e retenção de talento, um esforço que a UP tem feito no pressuposto de que todo esse talento contribuirá para para o desenvolvimento académico e científico da instituição, bem como para a sua afirmação internacional”, sublinha Sousa pereira.

Além do interesse em receber estudantes de programas de mobilidade, o reitor da UP garante que para a instituição é também fundamental captar alunos que escolham o Porto para completar cursos de graduação e pós-graduação, estudantes que, sustenta, “significam, de facto, um brain gain para o país e para a universidade”. Para o reitor da UP, ultrapassar a fasquia dos 6 mil estudantes internacionais é relevante por corresponder a mais massa crítica, maior intercâmbio de conhecimento, mais relações interculturais e mais recursos financeiros para a instituição.

“Com a capatação de capital humano altamente especializado, não só estudantes, mas docentes e investigadores vindos do exterior, estamos, ademais, a promover a imagem externa de Portugal e da cidade do Porto, ao afirmar a nossa cultura, língua e tradições junto de um público sofisticado e com potencial de influência”, refere António Sousa Pereira, sem esquecer as vantagens “do contacto com cidadãos de outros países para os estudantes nacionais”.

Esta quinta-feira, a UP acolhe, oficialmente, os mais de 1500 estudantes internacionais que estão a realizar um período de estudos de seis ou 12 meses, ao abrigo de programas de mobilidade, como o Erasmus+, receção que terá lugar, às 15h00, na Reitoria da UP. No decurso do habitual lancha de boas-vindas, serão divulgadas atividades de integração dos recém-chegados, que passam pela prática desportiva a visitas guiadas pela cidade, roteiro que inclui o cruzeiro das seis pontes que unem Porto e Vila Nova de Gaia.

1
1