expresso.ptexpresso.pt - 13 set 22:37

Chuvas e cheias em Espanha fazem quinta vítima mortal

Chuvas e cheias em Espanha fazem quinta vítima mortal

Um homem de 58 anos, que estava desaparecido há várias horas, foi encontrado morto em Orihuela, na província de Alicante. O Ministério do Interior espanhol anunciou que irá disponibilizar apoio e o presidente do Governo, Pedro Sánchez, prepara-se para visitar as áreas afetadas pela chuva e cheias

São já cinco as vítimas mortais devido ao mau tempo e às cheias no sul de Espanha. Depois das mortes em Almeria, Granada e Albacete, um homem de 58 anos, que estava desaparecido há várias horas, foi encontrado morto em Orihuela, na província de Alicante, esta sexta-feira à noite.

Almeria, Valência, Alicante e Múrcia acordaram esta sexta-feira, novamente, debaixo de forte precipitação pelo segundo dia consecutivo. A Proteção Civil espanhola acionou esta sexta-feira de manhã o alerta vermelho para a região das ilhas Baleares. A situação que está a preocupar mais as autoridades neste momento é a rápida subida do rio Segura, que já começou a transbordar nas localidades de Orihuela e Beniel, assim como em duas vilas do município de Múrcia, Alquerías e El Raal. O Ministério do Interior espanhol anunciou que irá disponibilizar ajuda a todos aqueles que tenham sido afetados e o presidente do Governo, Pedro Sánchez, visitará as zonas afetadas, conforme anunciou o próprio.

A chuva provocou várias inundações nas cidades do sudeste do país, tendo várias estradas sido cortadas e escolas encerradas. Também os aeroportos de Almeria e Múrcia foram encerrados e os estragos que se sabe terem ali sido causados pela chuva ainda estão por avaliar. Centenas de pessoas tiveram de ser deslocadas, incluindo as que se encontravam num parque de campismo em Almeria. Foi em Almeria aliás, e como aqui já referido, que morreu uma pessoa — um condutor que entrou num túnel sem se aperceber de que este estava alagado e não conseguiu escapar com vida. As duas pessoas morreram em Albacete (eram irmãos) viram o seu carro ser arrastado pela água, sem conseguirem reagir.

A situação é tal de modo grave que o governo de Múrcia prepara-se para solicitar que a região seja declarada “zona de catástrofe”, anunciou no Twitter o presidente da comunidade autónoma, Fernando López Miras. “A situação é dramática. Não estamos a falar de estragos numa zona específica, mas sim em toda a região de Múrcia.” Pelo menos dois municípios encontram-se totalmente submersos e também na região houve centenas de pessoas deslocadas, estradas cortadas, escolas encerradas e o serviço ferroviário foi suspenso.

1
1