observador.ptobservador.pt - 13 set 14:06

Cantor Sam Smith assume-se como não-binário

Cantor Sam Smith assume-se como não-binário

Numa entrevista emotiva, o cantor britânico falou sobre não se identificar nem com o género feminino nem com o masculino e ainda mencionou os vários problemas de auto-estima que tem com o corpo.

Tudo começou com uma simples conversa/entrevista mas acabou por se transformar num momento de revelação especial. Quando o cantor Sam Smith se sentou com a atriz Jameela Jamil a propósito do seu programa I Weigh (“Eu Peso”, em português) era suposto falar-se sobre a relação com o corpo e a imagem mas o britânico acabou por assumir-se como não-binário, conta a revista Vanity Fair. “Não sou masculino nem feminino. Acho que flutuo algures entre os dois”, revela o jovem de 26 anos.

Smith aparece num episódio da série de Jamil no Instagram a explicar que sempre se sentiu “muito livre no que diz respeito à sexualidade” e que isso ajudou-o a adaptar essa sensação àquilo que pensa sobre identidade de género.

“Ser não-binário/genderqueer significa que não te identificas com nenhum género. É uma mistura de várias coisas. És a tua própria criação especial”, esclarece. Apesar de muitas pessoas que se identificam como não-binárias preferirem ser tratadas pelo pronome “they” em vez de “he” or “she” (ou seja, preferem ser referidos através de pronomes indefinidos, não associados ao feminino ou masculino), Sam Smith explica que vai continuar a utilizar os pronomes masculinos, pelo menos por enquanto.

View this post on Instagram

In the premier episode of I Weigh Interviews, Jameela Jamil discusses fame, body image and the daily practice of self acceptance with musician Sam Smith.

A post shared by Jameela Jamil (@jameelajamilofficial) on Mar 15, 2019 at 12:58am PDT

“Já me sentei a pensar se queria uma operação de mudança de sexo. É algo em que ainda penso: ‘Quero mesmo isso?’ Acho que não”, contou Smith a Jamil durante a tal conversa transmitida através do Instagram da actriz. “Quando vi a palavra ‘não-binário’, ‘genderqueer‘, e comecei a ler mais sobre isso e a ouvir pessoas a falar sobre o assunto pensei ‘Porra, isto sou eu!'”, afirma.

Na mesma conversa o autor da canção “Writings on the Wall” (que apareceu em destaque no filme “Spectre”, do 007) explica que teve muitas dificuldades em lidar com com a sua imagem quando era mais novo. Tinha níveis de estrogénio demasiado altos e isso fez com que desenvolvesse seios, por exemplo, e isso colocou na mira do bullying dos seus colegas de escola. Smith até teve de fazer uma lipoaspiração quando tinha 12 anos, de forma a reduzir o tamanho do peito.

Apesar disso, afirma que duas semanas depois dessa intervenção cirúrgica recuperou “todo o peso que tinha perdido” porque ainda não tinha “percebido” a sua “relação com a comida”.

Os problemas de peso são mesmo descritos pelo cantor como sendo “a base de toda a sua tristeza” — que o perseguiu até mesmo na idade adulta.

1
1