blitz.ptblitz.pt - 13 set 13:02

Lily Allen acusa editora de não ter despedido executivo que a terá assediado

Lily Allen acusa editora de não ter despedido executivo que a terá assediado

A cantora acredita também que a sua carreira foi prejudicada por ter contado o episódio

Lily Allen revelou que, depois de ter contado a um dos responsáveis da Warner Music que foi assediada por um executivo da editora, a mesma não tomou qualquer ação contra o alegado abusador.

Em declarações ao podcast Next Episode, a britânica contou que o episódio aconteceu durante uma viagem às Caraíbas, em 2016, no decurso da qual foi a uma festa com o referido executivo.

“Chegámos ao meu hotel. Eu não conseguia encontrar as chaves do meu quarto. E ele disse: 'porque é que não dormes na minha cama, enquanto eu vou procurar as chaves?'. 'Apaguei' na cama dele e quando acordo ele estava na minha cama a dar-me palmadas no rabo e a tentar inserir o pénis nas minhas partes privadas. Saí da cama e comecei a berrar”.

Lily Allen explicou que, na altura, não relatou o sucedido à polícia. “Não quis causar um escândalo e até pensei na mãe dele e em como é que ela iria lidar com as notícias de que o seu filho era um predador sexual. Estava a dar prioridade a toda a gente menos a mim mesma”.

Em 2018, porém, a cantora relatou o sucedido na sua autobiografia “My Thoughts Exactly” e posteriormente teve uma reunião com um dos responsáveis máximos da Warner Music. Interrogada sobre se a editora tomou alguma decisão na sequência dessa denúncia, Lily Allen respondeu que não e que teme que o homem continue a trabalhar com jovens cantoras, pelo que sente a responsabilidade de alertá-las.

A inglesa acredita que, por ter contado este episódio, a sua carreira foi prejudicada.

Em comunicado enviado à BBC, a Warner Music garantiu que encara com toda a seriedade as acusações de conduta sexual indevida.

1
1