www.vidaeconomica.ptvidaeconomica.pt - 13 set 11:48

Apresentação dos riscos climáticos e ambientais

Apresentação dos riscos climáticos e ambientais

As alterações do clima, que se vêm agravando nas últimas décadas e cujas evidências foram analisadas, colocam à sociedade um desafio sobre as causas e o papel dos riscos climáticos e ambientais na realidade do setor segurador. As mudanças climáticas, principalmente aquelas devidas ao aquecimento global, foram, pela primeira vez, alertadas na década de 1950.
As origens e os efeitos das mudanças climáticas à escala global, mesmo sem o consenso dos líderes com responsabilidades políticas sobre as suas determinações causais, são um tema de extrema importância na atualidade. Tanto o furacão “Katrina” como a onda de calor na Europa evidenciaram que os impactos das mudanças climáticas não são exclusivos dos países mais pobres, mas sim um problema global e ao mesmo tempo localizado.  As grandes cidades caracterizam-se pela criação de calor, assim como a sua densidade construtiva diminui a percolação de água de chuva, e aumenta assim o fluxo ascendente de ventos, o que as torna vulneráveis para efeitos de aquecimento e enchentes.   As secas, ondas de calor, ondas de frio, inundações, tempestades, entre outros, eventos climáticos extremos, indicados de novas dinâmicas atmosféricas, têm causado ao planeta consequências diversas.  As novas condições climáticas e ambientais têm como consequência, também, a adoção de novos comportamentos humanos: as populações terão que se adaptar a estas novas mudanças ambientais, com novos estilos de vida, novos hábitos alimentares e dificuldade no acesso à água potável.  O tratamento do Risco Ambiental não tem sido adequado, e os recentes “desastres naturais” ocorridos são o exemplo de que poderiam ter sido evitados por avaliações prévias de impactos e análises de risco.  O risco ambiental tem-se manifestado, também, na ocorrência cada vez mais frequente de eventos extremos e abrangentes, cujos resultados em alguns casos têm sido catastróficos para a sociedade. Não significa que todos os “desastres naturais” tenham a sua origem na ação humana, mas o aumento da utilização abusiva dos recursos naturais e na transformação do meio ambiente têm aumentado os seus efeitos sociais e económicos.   O seguro ambiental corresponde à obrigação de reparar ou indemnizar os agentes afetados por parte do agente causador, a fim de possibilitar as correções causadas pelos danos ambientais. Esta definição está apoiada no princípio do poluidor-pagador e, fundamentalmente, nas ações individuais, a fim de evitar ou restringir comportamentos ou práticas negligentes que possam aumentar ou mesmo concretizar o Risco Ambiental.  As alterações climáticas são um fenómeno global. “Os furacões, sismos e incêndios que afetaram todo o mundo tiveram em 2017 um significado muito maior com perdas económicas recorde e onde as alterações climáticas assumiram um relevo especial”  A empresa de seguros Swiss Re estimou uma perda económica total de 306 mil milhões de dólares em 2017, quase o dobro dos 188 mil milhões de dólares de 2016 e também muito superior à média dos últimos dez anos, na ordem os 190 mil milhões/ano.  A estratégia de transferência de risco, para os seguradores, depois de os mitigar, vem proteger a rentabilidade e capitais contra os riscos catastróficos das empresas.   A segurança patrimonial deverá ser, cuidadosamente, analisada em sede de Gestão de Riscos e na Continuidade do Negócio, após essa catástrofe ocorrer.  São, também, o seguro de vida das empresas a contratação de uma Apólice de Perdas de Exploração, sendo que a mesma deverá garantir, de forma objetiva, quanto aos valores e respetivas coberturas além do período seguro.   Os seguros de Responsabilidade Civil, sejam Ambiental ou não, colocam, por exemplo, os estabelecimentos do tipo I ou II , no Sistema da Indústria Responsável (SIR) sujeitos à celebração de seguro de Responsabilidade civil extracontratual, salvaguardando sempre os respetivos capitais mínimos, âmbito da cobertura e demais características intrínsecas a cada organização.  O seguro de Responsabilidade Civil Ambiental garante a responsabilidade administrativa do segurado, por danos causados às espécies e habitats naturais protegidos, danos causados à água e ao solo, ou ameaça iminente de danos resultantes da atividade do segurado.  A responsabilidade civil, por poluição ou contaminação, assim como os custos de defesa, somente estão garantidos quando expressamente contratados nas referidas apólices.  As catástrofes não acontecem somente aos outros, além de que não há planeta B. 
1
1