expresso.ptexpresso.pt - 11 set 09:34

Bahamas. Devastação causada pelo furacão Dorian “não é totalmente conhecida”. Balanço atualizado: 50 mortos

Bahamas. Devastação causada pelo furacão Dorian “não é totalmente conhecida”. Balanço atualizado: 50 mortos

Algumas pessoas “não têm para onde ir”, alertam equipas de emergência e organizações de socorro. A agência caribenha de gestão de desastres revela que os corpos estão a ser temporariamente armazenados em recipientes refrigerados e mostra-se preocupada com o cheiro nauseabundo provocado por animais mortos e possíveis cadáveres humanos

Os trabalhadores humanitários nas Bahamas alertaram esta terça-feira que a devastação causada pelo furacão Dorian ainda está por apurar. As autoridades reviram o balanço provisório em pelo menos 50 mortos e dezenas de milhares de desalojados.

Falando mais de uma semana depois de o furacão ter atingido o país insular, onde permaneceu durante dois dias, a diretora da One Eleuthera Foundation, Sadye Francis, sublinhou que algumas pessoas “não têm para onde ir”. “A verdadeira dimensão da devastação nas ilhas Ábaco e na Grande Bahama ainda não é totalmente conhecida. As pessoas estão a ser transferidas para [a ilha de] Eleuthera por terra e por mar a partir de Ábaco. Algumas irão permanecer em Eleuthera ou viajar para [a capital] Nassau ou outros lugares para estarem com a família e os amigos, mas há outros que não têm para onde ir”, disse, citada pelo jornal “The Guardian”.

As Nações Unidas estimam que 76 mil pessoas ficaram desalojadas na Grande Bahama e em Ábaco, necessitando de ajuda.

Instalações mortuárias “sobrecarregadas”

A tempestade de categoria 5 (a categoria máxima) foi uma das mais poderosas de sempre registadas nas Caraíbas, com rajadas superiores a 320 quilómetros por hora e uma maré ciclónica de cerca de sete metros, devastando casas e outras infraestruturas.

As equipas de emergência avisam que as instalações mortuárias da ilha de New Providence, a mais populosa do país, estão “sobrecarregadas”, enquanto a agência caribenha de gestão de desastres revela que os corpos estão a ser temporariamente armazenados em recipientes refrigerados. A agência também levantou preocupações de saúde pública por causa do cheiro nauseabundo de animais mortos e de possíveis cadáveres humanos.

O Governo calcula que cerca de 10 mil habitantes de Ábaco precisem de comida, água e alojamento temporário durante as operações de limpeza da região norte.

O furacão, que também atingiu as Ilhas Virgens e as Outer Banks, ao largo da Carolina do Norte, e rondou a província canadiana da Nova Escócia, terá provocado sete mortos no sudeste dos EUA e em Porto Rico.

1
1