expresso.ptexpresso.pt - 11 set 19:17

EUA querem retirar do mercado cigarros eletrónicos com sabores

EUA querem retirar do mercado cigarros eletrónicos com sabores

O anúncio foi feito esta quarta-feira pelo Presidente norte-americano, Donald Trump. A agência que controla a qualidade alimentar e dos fármacos no país ainda estará a trabalhar no assunto, sendo expectável a divulgação em breve de novas orientações

O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou esta quarta-feira, durante uma reunião na Casa Branca, que os cigarros eletrónicos com sabores vão ser retirados do mercado.

Depois da morte de seis pessoas por doença pulmonar que se suspeita estar associada à utilização de cigarros eletrónicos, e de outros 450 casos semelhantes terem sido reportados, Trump considera que são necessárias “medidas fortes” para “proteger crianças inocentes dos potenciais riscos destes cigarros”. A FDA (Food and Drug Administration, que controla a qualidade alimentar e dos fármacos no país) ainda estará a trabalhar no assunto, sendo expectável a divulgação em breve de novas orientações, assim informou Alex Azar, secretário de Estado da Saúde e Serviços Humanos, no Twitter.

Ver Twitter
Ver Twitter

Na terça-feira, foi confirmada a morte de uma sexta pessoa, que residia no estado do Kansas, tinha 50 anos e um historial de problemas de saúde. A vítima terá dado entrada no hospital com vários sintomas que terão progredido rapidamente, esclareceu o Departamento da Saúde e do Ambiente do estado do Kansas à “CBS News”. Não foram avançados quaisquer detalhes sobre o tipo ou modelo de cigarro eletrónico utilizado, à semelhança do que aconteceu nas cinco mortes anteriores, a primeira ocorrida a 23 de agosto, no Illinois, a segunda em Oregon e as seguintes nos estados de Indiana, Minnesota e Califórnia.

Até ao momento, foram registados 450 casos de doença pulmonar causada potencialmente pelo uso de cigarros eletrónicos, em 33 estados norte-americanos. As vítimas começaram por apresentar sintomas como tosse, dor no peito e dificuldade em respirar, e num curto período do tempo a sua saúde deteriorou-se ao ponto de terem de ser hospitalizados (outros pacientes apresentaram sintomas como náuseas, vómitos, diarreia, fadiga e perda de peso).

Segundo uma análise preliminar realizada pelo Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA (baseada em 215 possíveis casos de doença pulmonar causada por cigarros eletrónicos), a maioria dos consumidores recorreu a produtos que continham compostos da canábis, incluindo THC (tetraidrocanabinol), substância psicoactiva encontrada na canábis, refere o jornal “The Hill”.

Como medida de prevenção, o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças apelou aos consumidores para que não utilizem cigarros eletrónicos. “Essa é a única forma de prevenir doenças pulmonares. Assim que obtivermos mais informações sobre os cigarros eletrónicos iremos rever as nossas recomendações sobre esses produtos”, afirmou a médica Dana Meaney-Delman.

A referência, em específico, aos cigarros eletrónicos com sabores tem que ver com o número crescente de jovens norte-americanos que utilizam estes cigarros e que, segundo várias vozes críticas, mal informados a respeito dos seus riscos. Aliás, esta semana as autoridades de saúde federais norte-americanas criticaram a empresa Juul Labs, uma gigante na área da comercialização de cigarros eletrónicos, por ter feito “publicidade enganosa dos seus produtos”, apresentando-os em escolas e a alunos como uma alternativa mais saudável aos cigarros tradicionais quando não é certo que o sejam.

No final de junho deste ano, a cidade de São Francisco, no estado norte-americano da Califórnia, anunciou que vai proibir a venda de cigarros eletrónicos já no início do próximo ano. Em causa estão os receios face aos efeitos desta alternativa face ao tabaco tradicional.

1
1