www.jornaldenegocios.ptPaulo Carmona - 11 set 19:27

O milagre dos esteroides anabolizantes

O milagre dos esteroides anabolizantes

As economias de mercado funcionam por ciclos. Entretanto, e talvez devido às actuais políticas monetárias ditas não convencionais, tenhamos tornado os ciclos mais longos e alisados.

A FRASE...

 
"Centeno admite défice até 2% em caso de recessão."

Negócios, 5 de setembro de 2019


A ANÁLISE...

As taxas de juro negativas, a transferir valor de quem tem dinheiro e poupa, para os endividados, têm sido uma forma diferente de redistribuição social entre "ricos" e "pobres", pessoas e países, fazendo o seu percurso para diminuir a dívida. Pelo caminho há sempre umas vítimas colaterais, neste caso os bancos, sem poder repassar as taxas negativas aos depositantes, com uma magra intermediação bancária, e os fundos de pensões, com as taxas sem risco a não conseguirem pagar as responsabilidades assumidas. E as obrigações têm ajudado, mas não sobem para sempre…

Quem diria, imprimir dinheiro sem causar inflação, ou pelo menos a que consta do cabaz…porque casas, obras de arte, carros antigos, ações, obrigações, tudo tem subido, menos o arroz, o feijão ou o electrodoméstico do IPC. Tanto dinheiro criado tem de ir para algum lado. Assim, quem tem investido tem ganho, quem tem deixado no banco tem perdido, em função da inflação, subsidiando os endividados. A desigualdade aumentou pelo crescimento do valor dos investimentos, talvez em bolha, mas sendo bolha pode durar muito tempo para rebentar, ou não. Até onde isto irá continuar? Ninguém resolve problemas de saúde com a utilização prolongada de esteroides anabolizantes, nem nenhuma economia viverá 10 anos com taxas negativas, a evitar recessão e deflação, como parecem dizer as obrigações a 10 anos…

A única vantagem tem sido tapar o problema da dívida.  Para Portugal tem sido um bónus. Em 2015, a dívida era de 231 mil milhões de euros, hoje rondará os 254, um aumento de 10% em quatro anos deste governo. No entanto, e graças a esta política do BCE, baixou de 129% do PIB para uns prováveis 122%.

Se voltar a lógica aos mercados financeiros, ou temos uma recessão prolongada ou as taxas aumentam. Recessão diminuirá as receitas de turismo e a procura externa à nossa economia. E as crises começaram sempre por grandes défices externos. Taxas de juro mais altas podem mostrar um país colado com cuspo. Com sorte continuará a loucura…

Artigo em conformidade com o antigo Acordo Ortográfico

1
1