expresso.ptexpresso.pt - 11 set 18:02

Filha de Brigitte Macron diz “basta” e lança campanha contra machismo de Bolsonaro

Filha de Brigitte Macron diz “basta” e lança campanha contra machismo de Bolsonaro

Tiphaine Auzière saiu em defesa da sua mãe, a primeira-dama de França que fora criticada pelo Presidente brasileiro. A militante feminista arrasou Jair Bolsonaro e lançou uma campanha contra a misoginia

A advogada Tiphaine Auzière, filha de Brigitte Macron, divulgou um vídeo nas redes sociais em que tece duras críticas ao Presidente brasileiro e desafia as mulheres a lutarem contra a misoginia.

A herdeira da primeira-dama francesa saiu assim em defesa da sua mãe, a primeira-dama que fora criticada pelo Presidente brasileiro e ainda pelo ministro da Economia do Brasil relativamente ao seu aspeto físico.

“Basta! Estamos em 2019 e existem responsáveis políticos que atacam uma mulher pela sua forma física. Não podemos tolerar, temos que discutir e denunciar o tema da misoginia em casa, nas empresas e nas eleições”, afirmou Tiphaine Auzière, de 35 anos, no vídeo divulgado no Facebook e no Twitter.

A advogada francesa apelou ainda às mulheres para se juntarem na luta contra a misoginia, lançando uma campanha online a partir da hashtag #balancetonmiso (denuncia a misoginia).

Ver Twitter

Os ataques de Jair Bolsonaro e de Paulo Guedes a Brigitte Macron surgiram depois de o Presidente francês ter lamentado a falta de resposta dos eu homólogo brasileiro aos incêndios na Amazónia à margem da cimeira do G7, em Biarritz, no final de agosto, e ter ameaçado ainda vetar o acordo da União Europeia com o Mercosul.

Onda de solidariedade nas redes

As reações de solidariedade não demoraram a surgir nas redes sociais, em resposta ao reto lançado pela filha da primeira-dama francesa. O líder do partido França Insubmissa, Jean-Luc Mélenchon, condenou as declarações “grosseiras” dos dois governantes brasileiros, sublinhando que os cidadãos do país que tem encontrado são felizmente diferentes dos seus dirigentes.

Também a presidente da região Ile-de-France, Valérie Pécresse, lamentou as afirmações do Presidente brasileiro e do ministro da Economia brasileiro, que classificou as mesmas de “inadmissíveis”. “Qual é o problema do Governo brasileiro? Depois de Jair Bolsonaro, o ministro da Economia. Que comentários grotescos”, disse Valérie Pécresse citada pelo jornal “Le Fígaro”, acrescentando que quando se insulta Brigitte Macron todas as mulheres francesas se sentem também insultadas.

No final de agosto, Emmanuel Macron considerou também as declarações dirigidas à sua mulher de “extraordinariamente desrespeitosas”, sublinhando esperar que os brasileiros possam ter em breve “um Presidente que se comporte à altura” do país.

Entretanto, o ministro da Economia brasileiro pediu desculpa pelos seus comentários, que considerou terem sido “uma profunda brincadeira de mau gosto indesculpável.”

1
1