www.sabado.ptleitores@sabado.cofina.pt (Sábado) - 11 set 07:00

O crime que nunca existiu

O crime que nunca existiu

Para si, leitor, temos a pré-publicação de um capítulo de um livro essencial para compreender o submundo de um País que alguns teimam em dizer que não é de corruptos. Eduardo Dâmaso revela a história da corrupção em Portugal - Opinião , Sábado.
"É essencial uma maior indignação cívica face aos sucessivos escândalos, que evidenciam todas as misérias do sistema político (...). É essencial exprimir a indignação de forma útil e eficaz através de todos os mecanismos sociais e políticos que a democracia prevê (...). Se não fizermos isso, estaremos a acabar com um dos maiores valores da Humanidade, a ideia de que há uma honradez intrínseca na democracia." Sim, este é praticamente o fim das quase 350 páginas de Corrupção – Breve História de um Crime que Nunca Existiu, um livro magnífico do diretor da SÁBADO, Eduardo Dâmaso.

O livro de Eduardo Dâmaso é o mais importante contributo para o estudo de um crime invisível

Para si, leitor, temos a pré-publicação de um capítulo essencial para compreender o submundo de um País que alguns teimam em dizer que não é de corruptos. Mas é e tem sido nos últimos 40 anos. Basta ler o livro do Eduardo para perceber que é mesmo assim. E foi preciso um jornalista (que viveu todas estas histórias e denunciou até várias ao longo dos anos) escrever um livro que é só a mais importante análise histórica de uma realidade cuja sistemática desvalorização tem servido de salvo-conduto a todo o tipo de comportamentos lesivos da sociedade.


A luta na Madeira
Esta semana, a SÁBADO foi atrás dos perfis íntimos dos dois principais candidatos à liderança do Governo Regional da Madeira: Miguel Albuquerque (PSD) e Paulo Cafôfo (PS). Só as imagens que publicamos revelam muito do que são estes dois políticos.

A jornalista Raquel Lito durante o trabalho de reportagem

Viagem aos céus de Lisboa
A jornalista Raquel Lito andou no terreno a investigar os novos projetos imobiliários de Lisboa. Sobretudo de que forma é que a construção em altura mexe com os preços praticados. Por isso, com ou sem náuseas à mistura, a Raquel subiu ao rooftop de um novo prédio. A trepidação do andaime assustou-a e a jornalista só recuperou quando voltou a pisar a calçada da Rua Castilho.

Evelise Veiga aproveitou uma pausa nos treinos para fazer a produção para a SÁBADO
A saltadora de Leiria
Evelise Veiga, de 23 anos, fez este ano 14,32 metros no triplo salto e tornou-se a terceira portuguesa a passar a barreira dos 14 metros. O editor executivo Carlos Torres andou meses a tentar que a atleta do Sporting fizesse uma pausa nas competições. E lá conseguiu conciliar agendas. Em agosto, num dos três dias de férias da atleta, Evelise recebeu-nos onde vive, em Leiria. Durante a conversa, contou que foi para o triplo salto por causa de uma brincadeira e que no primeiro treino que fez, com 10 anos, escondeu-se atrás de umas escadas para escapar ao aquecimento. No fim da entrevista, saltou para a SÁBADO. capa Assine já a Sábado digital por 1 euro para ler este artigo no ePaper ou encontre-o nas bancas a 11 de setembro de 2019.
Se já é assinante, faça login e leia o artigo diretamente no ePaper da SÁBADO.
1
1