observador.ptobservador.pt - 11 set 17:15

“Justiça gentil, que te partiste”. Bruno de Carvalho cita Camões para comentar decisão no caso e-Toupeira

“Justiça gentil, que te partiste”. Bruno de Carvalho cita Camões para comentar decisão no caso e-Toupeira

Numa publicação no Instagram, o ex-presidente do Sporting citou um soneto de Camões para comentar a decisão no caso e-Toupeira, no qual a SAD do Benfica não vai ser julgada. Sporting também já reagiu.

Justiça gentil, que te partiste,
Tão cedo desta vida descontente,
Repousa lá no Céu eternamente,
E viva cá na terra sempre triste.

O soneto chama-se “Alma minha gentil, que te partiste” e é da autoria de Luís Vaz de Camões. E foi a este soneto que Bruno de Carvalho, antigo presidente do Sporting, recorreu para comentar a decisão no caso e-Toupeira, na qual o Tribunal da Relação de Lisboa optou por não dar provimento ao recurso do Ministério Público na responsabilização da SAD do Benfica, fazendo com que a sociedade anónima desportiva encarnada não vá a julgamento. Através de uma publicação no Instagram, o ex-dirigente leonino refere que se lembrou de Camões “ao ler as notícias de hoje” e junta então os quatro versos a uma imagem do poeta português.

View this post on Instagram

Ao ler as notícias de hoje lembrei-me de Camões… Justiça gentil, que te partiste Tão cedo desta vida descontente, Repousa lá no Céu eternamente, E viva eu cá na terra sempre triste.

A post shared by Bruno de Carvalho (@bruno_de_carvalho72) on Sep 11, 2019 at 8:33am PDT

Entretanto, também o Sporting reagiu à decisão do Tribunal da Relação de Lisboa. Num comunicado divulgado no site oficial do clube, os leões afirmam “comungar da perplexidade geral face ao acórdão”. “Sem prejuízo daquilo que possa sustentar a decisão, em termos de argumentos de carácter formal e técnico, permanece incompreensível a cisão operada e agora mantida entre a referida SAD e o Dr. Paulo Gonçalves, o qual, a ser assim, teria agido de motu proprio, com objetivo e finalidades difíceis de conceber. A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD continuará a bater-se pela verdade desportiva com energia e intransigência, permanecendo atenta e atuante no âmbito dos diversos processos sob investigação e que indiciam práticas de enorme gravidade, com potencial impacto na verdade desportiva e que serão, uma vez provadas, merecedoras de sanção adequada nos planos criminal e desportivo”, acrescenta a nota.

Também Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, comentou a decisão judicial. “Quando alguém corrompe alguém em benefício de ninguém. Em Portugal, pelos vistos, crime é desmascarar criminosos. Em nome da SAD do Benfica, em benefício da SAD do Benfica, com os meios da SAD do Benfica, diz o tribunal. Mas depois iliba a SAD do Benfica. Isto era possível em mais algum país do mundo? Diga um, diga um”, escreveu Francisco J. Marques no Twitter. Entretanto, também a SAD encarnada reagiu à decisão do Tribunal da Relação de Lisboa.

“A decisão judicial de hoje é definitiva. Recorda-se que desde a primeira hora – e em todas as investigações judiciais em que foi envolvida – a Benfica SAD e seus mandatários sempre manifestaram total confiança nas decisões da Justiça e sempre colaboraram com as instituições na descoberta da verdade, respeitando essas instituições e não comentando materialmente as decisões judiciais. A Benfica SAD reafirma, como sempre o fez, a licitude dos seus atos e comportamentos, e reitera perante os seus sócios, adeptos e simpatizantes o compromisso de serenidade, confiança e determinação na defesa do seu bom-nome e na descoberta da verdade”, pode ler-se no comunicado divulgado no site oficial do clube.

1
1