www.sabado.ptleitores@sabado.cofina.pt (Sábado) - 16 ago 09:00

A nossa crise

A nossa crise

Quando conseguimos pôr o carro a andar sentimo-nos pobres. tanta tecnologia fazia de nós os burros e dele o palácio. - Opinião , Sábado.
Parado, aquele carro era um poema: cara de fim de semana, pinta de bon vivant e cheiro a novo. Durante 10 minutos, foi um recital: não se moveu um centímetro. Medíamos cada gesto com cuidado, que é o que se faz a cavalo emprestado. Ficámos impacientes (vivemos no primeiro mundo, damo-nos ao luxo de reclamar porque há botões no lugar da chave).

Quando conseguimos pôr aquele bombom a andar - no que representou descobrir um segundo caminho marítimo para a Índia -, sentimo-nos pobres. Tanta tecnologia fazia de nós os burros e daquele carro o palácio. Sentíamo-nos pobres. O que se revelaria curioso porque dali para a frente toda a gente nos veria ricos.
capa Assine já a Sábado digital por 1 euro para ler este artigo no ePaper ou encontre-o nas bancas a 13 de agosto de 2019.
Se já é assinante, faça login e leia o artigo diretamente no ePaper da SÁBADO.
1
1