expresso.ptexpresso.pt - 14 jul 11:04

Detenções em Paris durante as comemorações do Dia Nacional de França. Lusodescendente entre os detidos

Detenções em Paris durante as comemorações do Dia Nacional de França. Lusodescendente entre os detidos

"Organização de manifestação proibida" foi a justificação da polícia francesa para as detenções que envolvem os dirigentes do movimento " Coletes Amarelos", ao que apurou o Expresso. As vaias e protestos começaram quando Macron passava revista às tropas no desfile militar.

O lusodescendente Jérôme Rodrigues e outras figuras de proa dos “coletes amarelos” foram detidos para averiguações quando se encontravam na zona dos Campos Elísios em Paris. A ação policial desta manhã registou-se durante a Parada militar oficial do Dia Nacional francês.

Os “coletes” marcaram presença na célebre avenida e vaiaram ruidosa e longamente o Presidente Emmanuel Macron, quando este efetuava a descida protocolar da avenida dos Campos Elísios na abertura oficial das cerimónias.

Além de Jérôme, que perdeu um olho durante uma das manifestações dos “coletes amarelos” em Paris, foram também detidos Éric Drouet e Maxime Nicole, que são, tal como o lusodescendente, duas das principais figuras do movimento. Aparentemente os três, bem como outros “coletes” que estavam com eles e que também foram detidos, estariam a ameaçar provocar distúrbios, o que levou a polícia a considerar tratar-se de "organização de manifestação proibida". A informação foi avançada ao Expresso pelo advogado o advogado Juan Branco. Filho do produtor português de cinema, Paulo Branco, Juan é advogado de Maxime Nicole.

O Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, assiste ao desfile, como convidado de Emmanuel Macron, na tribuna oficial.

1
1