expresso.ptexpresso.pt - 13 jul 20:24

Caso Hells Angels: advogado de 7 dos 89 arguidos diz que "há grandes injustiças na acusação"

Caso Hells Angels: advogado de 7 dos 89 arguidos diz que "há grandes injustiças na acusação"

Correia de Almeida acha "escandaloso" que o Ministério Público, "com a pressa de fechar o processo, tenha juntado todos os arguidos no mesmo barco"

O advogado de sete dos 89 membros fo grupo motard Hells Angels acusados esta quinta-feira pelo Ministério Público de tentativa de homicídio de Mário Machado, líder do movimento de extrema direita Nova Ordem Social, considera que "a acusação não é minimamente correta e há grandes injustiças".

Assim, um dos arguidos "não estava há mais de um ano em Portugal e é acusado como tivesse participado na rixa ocorrida no restaurante Mesa do Prior, no Prior Velho, a 24 de março do ano passado". Outro arguido "estava em Portugal mas não mas não no local onde ocorreu o incidente, não tendo por isso qualquer intervenção direta no que aconteceu". E há outros membros do grupo motard "nas mesmas circunstâncias".

"O que é escandaloso", argumenta Correia de Almeida, "é que o Ministério Público, com a pressa de fechar o processo na quinta-feira, 11 de julho, juntou todos os arguidos no mesmo barco". Outro exemplo desta decisão "é o facto de o MP ter generalizado a acusação de crime de extorsão".

Correia de Almeida revela que os 20 a 30 advogados de defesa estão a ponderar uma tomada de posição conjunta. O advogado já fez dois pedidos para que o prazo de abertura da instrução "seja prolongado de 20 para 40 dias, porque este é um processo de uma dimensão e complexidade muito grande". E outros advogados tomaram também a mesma decisão.

Mas Correia de Almeida foi o único a solicitar que a comunicação social e os advogados tenham a oportunidade de assistir à distribuição dos juízes a quem será entregue a instrução do processo, "tal como aconteceu na Operação Marquês".

1
1