expresso.ptexpresso.pt - 11 jul 20:16

Instaurado processo de proteção a bebé que ingeriu estupefacientes por negligência dos pais

Instaurado processo de proteção a bebé que ingeriu estupefacientes por negligência dos pais

A criança de 14 meses hospitalizada no Hospital de Gaia/Espinho está livre de perigo, mas continua sob observação na urgência pediátrica. Caso foi comunicado ao Ministério Público, que sinalizou o menor

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Vila Nova de Gaia avança que a criança internada no Centro Hospitalar de Gaia/Espinho, após ter dado entrada na urgência na madrugada desta quarta-feira com sintomas de intoxicação, foi sinalizada pela unidade de saúde, tendo sido já instaurado um processo de promoção e proteção.

Num breve comunicado, assinado por Anabela Lopes, presidente da CPCJ de Gaia, é ainda confirmado que a criança foi internada devido a ingestão de haxixe e cocaína, não sendo, contudo, referido o destino imediato do bebé de quatro meses. "Atendendo ao caráter reservado do processo", a CPCJ não esclarece se já reuniu com os pais do menor ou se estes concordam com a institucionalização do filho.

Ao que o Expresso apurou junto de fonte próxima da Comissão de Menores, o bebé de 14 meses poderá ser entregue temporariamente a um familiar, enquanto aguarda pela decisão do Tribunal de Menores, a quem cabe decidir a melhor solução para o bem-estar do menor.

A Polícia Judiciária do Porto está também a analisar as circunstâncias em que a criança ingeriu os dois produtos adictivos, tudo indicando tratar-se de um caso de negligência parental. Segundo fonte próxima da investigação, pelo menos o pai terá um historial de toxicodependência, tendo deixado ao alcance do filho os estupefacientes.

O alerta ao 112 foi dado pela mãe, que encontrou o filho no chão da casa com convulsões, tendo sido transportado de ambulância para o hospital.

1
1