expresso.ptexpresso.pt - 14 jun 18:28

Toxina presente em lichias ligada à morte de pelo menos 47 crianças na Índia

Toxina presente em lichias ligada à morte de pelo menos 47 crianças na Índia

Toxina presente no fruto pode inibir os normais processos de metabolização do organismo

As autoridades de Saúde no estado indiano de Bihar confirmaram na quinta-feira a morte de 47 crianças com síndrome de encefalite aguda, que envolve inflamação do cérebro, condição que pode ter sido provocada pela ingestão excessiva de lichias, uma pequena fruta branca com casca rugosa produzida em massa neste estado, onde muitas crianças vivem abaixo do nível de pobreza e pouco mais têm para comer.

Em 2014, a revista médica “Lancet” escreveu sobre este fenómeno porque, um ano antes, em 2013, as mortes por encefalite no estado de Uttar Pradesh, também no norte da Índia, bateram recordes: 351 pessoas morreram da doença. A dependência local do Ministério da Saúde culpa a hipoglicemia pela morte das crianças mas as toxinas presentes nas lichias podem ter influência nas falhas de processamento da glicose.

Os pais das crianças que morreram relataram, na altura, que os seus filhos passavam o dia a comer lichias nos pomares dos vizinhos, muitas vezes voltando para casa à noite sem fome. As crianças que adoeceram, dizem os investigadores, tinham “saltado” o jantar, o que resultou em "hipoglicemia noturna". Quando o nível de açúcar no sangue das crianças cai, o corpo começa a metabolizar os ácidos gordos para produzir um aumento de glicose. No entanto, amostras de urina revelaram que dois terços das crianças mostraram provas de exposição a toxinas em sementes de lichia, encontradas em níveis mais elevados em frutos verdes. Na presença dessas toxinas, "a síntese de glicose é severamente prejudicada", disse o estudo, levando a uma taxa perigosamente baixa de açúcar no sangue e inflamação no cérebro.

A explicação está nos níveis muito elevados de subnutrição na região. “O fígado armazena glicogénio e quando os níveis de açúcar no corpo descem o fígado lança uma quantidade extra na corrente sanguínea para tentar balançar as coisas. Se só houver toxinas, e nenhum alimento produtor de açúcar, então só essas toxinas é que são libertadas”, explicou à comunicação local, citada pela CNN, Sanjay Kumar, representante local do Ministério da Saúde.

1
1