pplware.sapo.ptpplware.sapo.pt - 14 jun 14:34

Square Enix pondera lançar serviço de subscrição com os seus jogos

Square Enix pondera lançar serviço de subscrição com os seus jogos

Tal como o Xbox Game Pass ou o PSN da Sony, também a Square Enix estará a cogitar a hipótese de criar o seu serviço de subscrição de jogos.

A japonesa Square Enix está a acompanhar com especial interesse os serviços de subscrição de jogos e pondera lançar a sua alternativa. Com o intuito de disponibilizar toda a sua biblioteca, sobretudo os títulos mais antigos para todas as consolas, pode nascer assim um rival ao PSN e ao Xbox Game Pass.

O estúdio nipónico está a acarinhar esta ideia, confirmou Yosuke Matsuda, o CEO.

O presidente da empresa e CEO, em declarações à Game Informer, confirmou a criação de uma equipa dedicada a este projeto. A seu cargo terão, em primeiro lugar, a tarefa de tornar compatíveis os títulos clássicos da NES, provavelmente incluindo os jogos da Square, bem como da Enix neste lista.

Um novo serviço de subscrição de jogos digitais?

Ao propósito, relembramos que a Square Enix, tal como a conhecemos hoje, é o resultado da fusão das duas empresas que também deram origem ao seu atual nome. Assim sendo, é ótimo pelo menos considerar como provável a hipótese de todos os jogos, até mesmo os mais antigos, estarem incluídos.

Já numa outra tónica, o lançamento de um serviço de subscrição de jogos chegaria numa altura em que o mercado recebe bem este formato. Veja-se o serviço PSN da Sony, o Xbox Game Pass da Microsoft, bem como o Stadia da Google que já está a dar os seus primeiros passos neste mercado.

As @E3 comes to an end, we wanted to extend a big THANK YOU to all the fans who came out to our booth and tuned into Square Enix Live #E32019! Hope you enjoyed #SquareEnixE3! https://t.co/yTi4ktRPT6 pic.twitter.com/RF15SIDqNB

— Square Enix (@SquareEnix) June 14, 2019

Além disso, a Square Enix está a estudar a possibilidade de lançar um serviço de streaming de jogos, uma premissa similar ao Stadia. Alternativamente, está também a contemplar a hipótese de o serviço permitir o download dos jogos. Aqui entre outras modalidades atualmente a serem estudadas.

A hipótese foi avançada após a E3 2019

De acordo com as declarações do CEO, existem ainda vários pontos por definir. Aliás, a própria abordagem ao serviço de subscrição de jogos ainda não está escolhida. No entanto, será muito provável vermos um novo projeto a ser divulgado pela empresa, restando apenas saber que moldes seguirá.

Estamos a trabalhar (numa divulgação da biblioteca) em vários moldes. É um pedido que ouvimos muitas vezes. Já no que aos principais jogos diz respeito, grande parte deles continuará a ter variações daquilo que podem jogar atualmente, avançou Matsuda.

No que aos jogos clássicos diz respeito, que provavelmente jogaram na NES, ainda estamos a trabalhar arduamente para que os possam voltar a jogar. Em boa verdade, lançamos um projeto interno dedicado à portabilidade dos jogos clássicos e mais antigos, acrescenta o CEO.

Queremos trazer o máximo de jogos para todas as variadas plataformas. Assim sendo, queremos realmente ver um serviço de subscrição, ou de streaming de jogos. Estamos a explorar a possibilidade de criar um serviço inteiramente nosso, termina Yosuke Matsuda.

PSN e Xbox Game Pass ou Stadia? Qual o melhor formato?

Em síntese, a Square Enix ainda não decidiu qual será o formato utilizado. De um lado temos o PSN e o Xbox Game Pass, para download de jogos e do outro, serviços de streaming como o Stadia. Entre si, partilham o formato de rentabilização com o plano de subscrição mensal.

“It’s very hard to find them sometimes, because back in the day you just made them and put them out there and you were done."
President & Representative Director of Square Enix, Yosuke Matsudahttps://t.co/7cFImUrceO

— Andrea (@andrea_sekai) June 14, 2019

Há, porém, uma peculiaridade que também se tornou evidente. A Square Enix pode ter perdido o código fonte de alguns dos seus títulos mais antigos. Em declarações à Kotaku, o CEO da empresa partilhou informações algo embaraçosas. Já, por outro lado, são um reflexo dos tempos e indústria de então.

É muito difícil encontrá-los, por vezes. Note-se que antigamente uma pessoa limitava-se a criar os jogos e pronto. Passava-se para o próximo. Desse modo, nunca pensamos que os voltaríamos a vender, ou usar, numa ocasião futura, confessou Matsuda.

Alguns dos jogos mais antigos podem ter sido perdidos pela Square Enix

Ao propósito, Matsuda revelou que, por exemplo, teve que pedir a um antigo programador para procurar o jogo num computador antigo. O código fonte estava por lá, guardado, não perdido, mas esquecido numa máquina velha. Aí tiveram sorte, ao conseguirem recuperar o material original.

A very frank & honest comment that touches on preserving the digital "I'm embarrassed to admit it, but in some cases, we don't know where the code is anymore."- Yosuke Matsuda – Granted it was about remonitization vs. preservation – can't win them all https://t.co/lW6C6O1wdK

— Sean Tudor (@S_Tudor) June 13, 2019

1
1