rr.sapo.ptrr.sapo.pt - 12 jun 23:26

Autarca de Mondim de Basto defende reabertura de lojas dos CTT em todos os concelhos

Autarca de Mondim de Basto defende reabertura de lojas dos CTT em todos os concelhos

Em declarações à Renascença, Humberto Cerqueira reage ao anúncio de que os CTT vão suspender encerramentos e reabrir postos em alguns concelhos.

O presidente da Câmara de Mondim de Basto, Humberto Cerqueira, defende a reabertura de lojas em todos os 33 concelhos que perderam a estação dos CTT.

Em declarações à Renascença, Humberto Cerqueira reage ao anúncio desta quarta-feira do presidente do conselho de administração dos CTT, João Bento, de que a empresa vai suspender encerramentos e reabrir postos em alguns concelhos.

O autarca espera que Mondim de Basto seja um dos municípios abrangidos e deixa um aviso: “se há uma reabertura [de postos dos CTT] e essa intenção, ficará a pergunta: se reabrirem nuns locais por que não o farão nos outros? Aí contarão com outra luta no sentido da reabertura total em todos os concelhos em que encerraram”.

Humberto Cerqueira considera que a reabertura de postos dos CTT é uma boa notícia e, “no fundo, é a empresa a admitir o erro”.

“A imagem da empresa saiu prejudicada deste processo e, se isso acontecer, ficamos satisfeitos e será feita justiça”, afirma o autarca de Mondim de Basto.

“Se os CTT admitem agora a reabertura das lojas nos concelhos ondem encerraram, naturalmente que é uma boa notícia. O atual ministro do Equipamento já deu a indicação de que o próximo Governo terá isso em conta e, no próximo caderno de encargos da concessão do serviço postal, irá constar a obrigatoriedade de pelo um posto dos CTT em cada concelho”, sublinha.

O autarca lamenta o “prejuízo” que o encerramento do posto dos Correios “causou à população, até pela questão simbólica”.

“Sendo os CTT a empresa que tem o monopólio da distribuição postal não faz sentido absolutamente nenhum que encerrem as lojas em concelhos como Mondim de Basto, em que a presença física e institucional da empresa é importante até para a própria dignidade do concelho e do acesso das pessoas ao serviço postal”, sustenta.

Também ouvido pela Renascença, o presidente da Câmara de Vila de Rei, Ricardo Aires, fala numa “questão de justiça” e acredita que o concelho vai ser um dos comtemplados. Vila de Rei perdeu a estação dos Correios e conta atualmente com um posto com menos serviços.

1
1