www.dinheirovivo.ptdinheirovivo.pt - 12 jun 16:18

Facebook quer contratar mais 500 pessoas para centro de engenharia em Londres

Facebook quer contratar mais 500 pessoas para centro de engenharia em Londres

Londres é já o segundo maior centro de engenharia do Facebook e, até ao final de 2019, chegará aos três mil trabalhadores.

O anúncio foi feito por Nicola Mendelsohn, o vice-presidente da rede social para a área EMEA, durante o evento London Tech Week, que decorre durante estes dias, em Londres. A empresa de Mark Zuckerberg vai criar mais 500 postos de trabalho ligados à área da tecnologia, até ao final deste ano, aponta a Reuters.

Deste meio milhar de contratações, pelo menos 100 destes postos de trabalho estarão ligados à área da inteligência artificial, para trabalhar na remoção de conteúdo que vá contra as normas da rede social, contas falsas, etc, nos vários produtos da empresa.

Leia também | Já começou a maior mudança do Facebook dos últimos anos

Fora dos Estados Unidos, os centros de engenharia situados em Londres são já a maior localização do Facebook, onde só 1800 pessoas estão ligadas à área da engenharia. Além do anúncio de mais contratações, a rede social aponta que o ano seja concluído com “três mil trabalhadores” na capital britânica.

“Estas centenas de novos postos de trabalho demonstram não só o empenho para com o Reino Unido mas também a determinação para detetar e remover de forma proativa conteúdo malicioso”, indicou Nicola Mendelsohn, citado pela Reuters.

Leia também | Facebook. Dar a palavra a quem sabe para mostrar 15 anos de engenharia

Este ano, o Facebook escolheu Londres para a sua feira de engenharia, onde deu oportunidade aos engenheiros de mostrar os trabalhos desenvolvidos no Reino Unido, que vão desde a área de anúncios, segurança, até aos filtros de realidade aumentada desenvolvidos através da plataforma Spark.

No início de maio, foi também anunciado que a empresa de Mark Zuckerberg tinha escolhido Londres para desenvolver os trabalhos ligados à área de pagamentos feitos através do WhatsApp. A aplicação de troca de mensagens, que é uma das mais conhecidas, com milhares de milhões de utilizadores ativos diários, foi comprada pelo Facebook por 16 mil milhões de dólares, em 2014.

1
1