visao.sapo.ptvisao.sapo.pt - 17 mai 15:32

Ler por aí… Café: Livros e comida do mundo, em Lisboa

Ler por aí… Café: Livros e comida do mundo, em Lisboa

Nos Anjos, em Lisboa, há um novo café-livraria para viajar sem sair do lugar e que pretende ser um ponto de encontro entre adeptos das letras. Quem alinha num karaoke de leituras no Ler por aí...Café?
O Ler por aí começou por ser um site, nascido em 2006, "tipo um guia de viagem literário. Em março, no Dia Mundial da Poesia, deu origem a um café-livraria 1 / 5

O Ler por aí começou por ser um site, nascido em 2006, "tipo um guia de viagem literário. Em março, no Dia Mundial da Poesia, deu origem a um café-livraria

No andar de baixo, estão os livros. Não se trata de livros de viagens, explica Margarida Branco, uma das proprietárias, antes de "livros de lugares" 2 / 5

No andar de baixo, estão os livros. Não se trata de livros de viagens, explica Margarida Branco, uma das proprietárias, antes de "livros de lugares"

Ao nível da rua, fica o café, onde se preparam refeições leves e petiscos, inspirados em várias latitudes 3 / 5

Ao nível da rua, fica o café, onde se preparam refeições leves e petiscos, inspirados em várias latitudes

Uma das sobremesas do café-livraria 4 / 5

Uma das sobremesas do café-livraria

No Ler por aí...Café organizam-se várias iniciativas como o karaoke de leituras, o Portugueses Conversation Club, os workshops de leitura em voz alta ou o ritual da Sagrada Família 5 / 5

No Ler por aí...Café organizam-se várias iniciativas como o karaoke de leituras, o Portugueses Conversation Club, os workshops de leitura em voz alta ou o ritual da Sagrada Família

Margarida Branco sempre gostou de viajar e de recolher o máximo de informação sobre cada destino, antes de partir. “Os aspetos mais práticos eram fáceis de descobrir, mas nunca encontrava histórias sobre os sítios, num registo mais de romance”, conta à VISÃO. Com essa ideia em mente, criou, em 2006, o site Ler por aí (lerporai.com), “tipo um guia de viagem literário”, com uma lista de países e cidades e respetivos livros para ler nesses locais. “Eu trabalhava em logística, precisava de um contraponto.” Pouco tempo depois, nasceram as iniciativas ligadas aos livros, como um passeio pela capital à boleia de O Último Cabalista de Lisboa, de Richard Zimler, um chá que recriou a atmosfera de O Leopardo, de Giuseppe Tomasi di Lampedusa, ou um jantar com especialidades africanas de diferentes países, ligado a Viagem por África, de Paul Theroux. “Foi nessa altura que se juntou ao projeto o Luís Serpa, que é marinheiro e ficou para sempre um sócio afetivo.” São dele, por exemplo, as cartas náuticas que forram as mesas do Ler por aí... Café e que marcam o tom do novo sítio dos Anjos: este é um local para viajar. E ler, claro está.

Ao longo de 13 anos o projeto foi crescendo, sempre com o objetivo de um dia o materializar num espaço físico. Abriu a 21 de março, Dia Mundial da Poesia – “apesar de ter sido sempre a prosa que nos envolveu desde o início” –, e funciona em dois andares. Ao nível da rua está o balcão de cafetaria, onde Margarida prepara refeições leves e petiscos, inspirados em várias latitudes. De Itália vêm as beringelas assadas no forno com alecrim (€3), da Grécia o tzatziki (€3), de Espanha a tortilha (€2,50), de Inglaterra a sanduíche de pepino (€2,50). No andar de baixo estão as paredes forradas a livros, todos para venda. “São sempre livros de lugares, que se passam em algum sítio. Não é tanto literatura de viagens.”

É também na sala de baixo que acontecem as várias iniciativas, como o karaoke de leituras, com projeção de excertos para ler, o Portuguese Conversation Club, para estrangeiros que queiram praticar português, os workshops de leitura em voz alta ou o ritual da Sagrada Família. “Pegamos num livro por mês [em abril foi A Peregrinação, de Fernão Mendes Pinto] e ele passa por casa de quatro famílias que o acolhem e, no fim, há um momento de leitura comum.” Também recebe viajantes com histórias para contar, pretende retomar os jantares e ter mais música. “Estamos no início ainda.”

Ler por aí... Café > Rua Jacinta Marto, 10 B, Lisboa > T. 21 160 2233 > seg-sex 16h-24h, sáb-dom 11h-24h

1
1