observador.ptobservador.pt - 17 mai 23:56

Nova Iorque. Peões que mandem SMS enquanto atravessam passadeiras podem ser multados

Nova Iorque. Peões que mandem SMS enquanto atravessam passadeiras podem ser multados

Enviar mensagens nas passadeiras de Nova Iorque pode passar a constituir uma infração. Os peões que o fizeram serão multados com valores que podem ir até 220 euros, se senado aprovar nova lei.

Uma nova lei proposta pelo senado do estado de Nova Iorque pretende multar pessoas que usem o telemóvel para escrever ou ler mensagens enquanto atravessam passadeiras, noticia esta sexta-feira o jornal britânico The Guardian.

Se o documento for aprovado, os pedestres que sejam apanhados pela polícia a “usar um aparelho eletrónico móvel enquanto atravessam a via” podem ser multados com valores que podiam ir dos 25 e aos 250 dólares (cerca de 22 a 220 euros). A proposta prevê exceções para equipas de emergência médica, funcionários de hospital e bombeiros.

Todos os anos, cerca de 300 peões morrem em acidentes nas vias do estado de Nova Iorque, segundo avança o jornal britânico. Não é certo que todas estas mortes estejam relacionadas com o uso do telemóvel para escrever e enviar ou ler e a receber mensagens por parte dos peões, mas John Liu, o senador do estado de Nova Iorque, está empenhado em reduzir o número de vítimas.

Excerto do documento onde é proposta a lei

“A lei não diz que não se pode falar ao telemóvel. A lei visa, sim, as pessoas que estão a olhar para baixo e a mexer no telemóvel. É fácil esperar cinco segundos e atravessar a passadeira”, em segurança, defende o senador. Mas nem todos concordam,

Marco Conner, ativista e diretor executivo do grupo de Transportes Alternativos, afirma que a lei não tem fundamento e que será fonte de “policiamento subjetivo e discriminatório“. “Não há referência a números ou dados. A maioria dos acidentes de trânsito em todo o país são causados pelo condutor. Isto é uma forma disfarçada de culpar as vítimas”, defende Conner.

Jonh Liu admite que a lei não será bem aceite entre a população. Diz ainda que o controlo de peões que usam o telemóvel enquanto atravessam a passadeira não será uma prioridade para a polícia. “A minha intenção é ajudar os nova-iorquinos e lembrá-los do que devem fazer: esperar os cinco segundos (para atravessar a passadeira)”.

1
1