expresso.ptexpresso.pt - 17 mai 17:43

Quer saborear uma torrada perfeita? Então terá de pagar mais de 240 euros

Quer saborear uma torrada perfeita? Então terá de pagar mais de 240 euros

Compacta e com um design inovador, a nova torradeira japonesa assemelha-se a um grelhador ou a uma máquina de waffles. Torra apenas uma fatia de pão de cada vez e promete conseguir uma textura crocante por fora e fofa por dentro

Houve tempos em que a alimentação dos japoneses baseava-se sobretudo em sopa miso, arroz, sushi, sashimi e peixe grelhado. Mas os hábitos alimentares têm vindo a mudar nos últimos anos.

De acordo com um estudo recente do NRI Group, mais de metade dos japoneses preferem agora comer pão ao pequeno almoço. Ora, esta alteração transformou-se numa oportunidade de negócio para as empresas locais e foi a pensar nisso que a Mitsubishi Electric Corp. resolveu desenvolver uma nova torradeira, refere a Bloomberg.

Compacta e com um design inovador, a Mitsubishi Bread Oven assemelha-se a um grelhador ou a uma máquina de waffles, torra apenas uma fatia de pão de cada vez, no que parece ser a táctica correta para proporcionar uma textura crocante por fora e fofa por dentro. Quem já provou estas torradas diz que é como se o pão tivesse acabado de chegar da padaria.

Ver Twitter

O preço não é, contudo, acessível para todos os bolsos. Cada torradeira custa 30 mil ienes (cerca de 244 euros), ou seja, é seis vezes mais cara do que uma torradeira ou tostadeira normal.

Hiroaki Higuchi, gestor de marketing da Mitsubishi Electric Corp, admite que o preço é elevado, mas diz acreditar que a experiência do consumidor compensará o custo. “Pode-se ficar surpreendido com o preço, mas trata-se de uma estrutura completamente diferente. A pesquisa e o desenvolvimento têm custos”, explica o responsável à Bloomberg.

Em termos globais, são os japoneses que têm uma vida mais longa no mundo, com uma esperança média de vida de 83,98 anos. A alimentação saudável é um dos principais fatores. Mas, segundo um estudo recente divulgado pela revista “The Lancet”, o país deverá ser ultrapassado em 2040 por Espanha, passando a ocupar a segunda posição do ranking.

1
1