ionline.sapo.ptionline.sapo.pt - 14 mai 13:00

“Muitos eleitores desconhecem o impacto das decisões europeias no país”

“Muitos eleitores desconhecem o impacto das decisões europeias no país”

António Capucho, ex-vice-presidente do Parlamento Europeu, considera que campanha das europeias, como já é habitual, está virada para os temas nacionais, "mas desta vez de uma forma muito intensa".

Acha que a campanha está excessivamente virada para os temas nacionais? 

Está virada para os temas nacionais como é hábito, mas desta vez de uma forma muito intensa. António Costa tem feito tudo para que esta campanha seja dominada pelas questões nacionais e  pelos supostos êxitos a governação.

Isso pode desmobilizar o eleitorado?

Não. O eleitorado está mais interessado nas questões nacionais do que nas questões europeias. Um conjunto considerável de pessoas desconhece o impacto que as decisões europeias podem ter no país. 

Vai apoiar algum partido nestas eleições?

Vou votar no Paulo Rangel. Não tenho nenhuma dúvida de que é a melhor lista.

Foi vice-presidente do Parlamento Europeu entre 1989 e 1998. Como é que foi essa experiência?

Foi uma oportunidade que tive para alargar os meus conhecimentos à nova realidade que o país estava a enfrentar depois da adesão à União Europeia.

A União Europeia precisa de mudar?

Há dois aspetos importantes. Uma maior transparência e uma maior capacidade para comunicar diretamente com os cidadãos. Outro aspeto importante é desburocratizar para conseguir uma maior democraticidade. Neste momento grande parte do processo europeu é feito de uma forma lenta, burocrática, opaca e pouco transparente. Isso tem de ser alterado.

2
1