expresso.ptexpresso.pt - 17 abr 11:37

CEO RESET. "Ainda foi nos tempos em que tínhamos tempo para gritar." O episódio mais divertido na carreira de Steven Braekeveldt

CEO RESET. "Ainda foi nos tempos em que tínhamos tempo para gritar." O episódio mais divertido na carreira de Steven Braekeveldt

Steven Braekeveldt, o belga que dirige o grupo segurador Ageas Portugal, lembra a profissão mais divertida que teve e recomenda mudar emprego ao fim de cinco a seis anos. Este é um dos dez CEO que aceitaram o repto do jornal Expresso e da consultora EY para fazerem “reset” e refletirem sobre o desafio que é gerir uma empresa ou ter de começar de novo

A parte “mais divertida, excêntrica, especial ou excitante” da carreira profissional do CEO do grupo Ageas Portugal foi nos anos 90, quando Steven Braekeveldt ainda trabalhava naquelas salas de negociações dos mercados financeiros:

  • “O mais divertido foram os primeiros dez anos como “trader” no mercado de câmbios e derivativos. Ainda foi nos tempos em que tínhamos de gritar uns com os outros. Embora nas salas de negociação fôssemos considerados do pessoal mais t��cnico, ainda assim tínhamos de usar três telefones na cabeça e gritar uns com os outros para negociar. Era uma barulheira e negociávamos biliões todos os dias assim. Começávamos às sete e meia da manhã e, no fim do dia, nem sei quanto dinheiro tínhamos negociado”.
  • “Depois fui passando pelas várias salas de negociação que tínhamos espalhadas pelo mundo” até que, ao fim de dez anos, “parei quando percebi que já estava demasiado velho. Tinha 36 anos e, intelectualmente, deixara de ser um desafio porque os produtos mais não eram do que combinações uns dos outros. Já não estava a aprender. Estava a cair na rotina”

Steven Braekeveldt acrescenta que, desde então, nunca mais deixou “de ser um nómada moderno, sempre a mudar”. E aconselha a mudar sempre que se cai na rotina. Quando questionado sobre o máximo de anos que se deve permanecer na mesma função, o CEO responde: cinco a seis anos, no máximo.

Steven Braekeveldt lidera a Ageas Portugal, o grupo constituído pela Ageas Seguros, a Médis, a Ocidental e a Seguro Directo. Depois de Isabel Vaz, é o segundo de dez gestores de empresas que aceitaram o repto do jornal Expresso e da consultora EY para fazerem “RESET” e refletirem sobre o desafio que é gerir uma empresa ou ter de começar de novo. Acompanhe no site do Expresso as suas histórias, dicas e conselhos

2
1