visao.sapo.ptvisao.sapo.pt - 17 abr 07:00

Abril em Lisboa: Celebrar a democracia

Abril em Lisboa: Celebrar a democracia

Fotografias de Alfredo Cunha, música de Fausto Bordalo Dias e um documentário sonoro são algumas das iniciativas que integram a 3ª edição do Abril em Lisboa. Em sete pontos dizemos-lhe o essencial desta festa que se faz, até ao final do mês, na rua e não só

André Carrilho

1. Memória fotográfica
Uma das iniciativas desta 3ª edição do Abril em Lisboa é o roteiro Lugares de Abril, um percurso com passagem por nove locais onde ocorreram acontecimentos importantes da Revolução dos Cravos, assinalados com placas informativas e fotografias de Alfredo Cunha que retratam as ações ali ocorridas. Criado em parceria com a Associação 25 de Abril e a Câmara Municipal de Lisboa, o roteiro vai continuar a crescer até ao 50º aniversário do 25 de Abril, altura em que terá cerca de duas dezenas de locais assinalados. 2. Ouvidos à escuta
Na sala de visionamento do edifício da Rank Filmes, ao lado do Cinema São Jorge, é exibido, entre 19 e 28 abril, às 18h30, o documentário sonoro de Sofia Saldanha No Escuro e à Escuta, sobre a censura e a propaganda. A lotação da sala é de apenas 21 lugares e o levantamento dos bilhetes é feito no próprio dia, no limite de dois por pessoa. 3. Perguntar não ofende
Um encontro entre cidadãos e os candidatos às eleições para o Parlamento Europeu é uma das iniciativas da programação do Festival Política, que decorre, entre os dias 25 e 28, no Cinema São Jorge. O Cara-a-Cara tem a duração de cinco minutos e os participantes são livres de perguntar o que quiserem. 4. O valor de um testemunho
Os relatos de quem viveu o período revolucionário ganham vida em Dias da Memória, marcado para dia 25, entre as 10 e as 18 horas, no Museu do Aljube Resistência e Liberdade. “Qualquer cidadão anónimo vai poder contar in loco como viveu antes do 25 de Abril e o próprio dia”, explica Joana Gomes Cardoso, presidente da EGEAC (Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural), que vê na iniciativa “um excelente pretexto para conhecer o museu”. 5. Todos à Praça do Comércio
Na quarta, 24, às 21h30, a Praça do Comércio recebe o concerto de Fausto Bordalo Dias – Banda & Orquestra Música e Revolução. No mesmo dia, às 21 horas, estreia-se o espetáculo de videomapping imersivo Memórias de Abril, do atelier Ocubo, projetado nas paredes dos edifícios. Será assim, todos os dias, até 1 de maio, em três sessões noturnas (21h, 21h30 e 22h), com a duração de 20 minutos, a percorrer vários momentos da história da Revolução dos Cravos. 6. O manguito de Bordalo Pinheiro
Para o público juvenil, a visita-jogo Manguito como Gesto Filosófico, com sessões nos dias 18 e 25 de abril, às 15 horas, dá a conhecer as caricaturas, os desenhos e as cerâmicas de Bordalo Pinheiro. A visita-jogo, Passear na Lisboa de Bordalo (27 abril) e Bordalo vai Abrilar... (27 abril), são três atividades específicas para famílias, programadas pelo Museu Bordalo Pinheiro. 7. Na pele de um maestro
Durante cinco dias, de sexta, 19, a terça, 23, entre as 17 e as 19 horas, vai ser possível mimetizar os gestos de um maestro e pôr a Orquestra Bomtempo a tocar em vários locais da cidade. A saber: Largo da Graça, Praça do Oriente, Jardim da Estrela, Largo Trindade Coelho e Aeroporto Humberto Delgado. A direção artística é do maestro Cesário Costa e as orquestrações de Filipe Melo.
11
1