expresso.ptexpresso.pt - 17 abr 09:40

Trump veta resolução do Congresso para acabar com envolvimento dos EUA na guerra no Iémen

Trump veta resolução do Congresso para acabar com envolvimento dos EUA na guerra no Iémen

O Presidente dos EUA alega que a resolução é “uma tentativa desnecessária e perigosa de enfraquecer” a sua autoridade. Vários congressistas quiseram expressar a sua frustração com o contínuo apoio de Trump ao príncipe herdeiro saudita. Pelosi acusa o Presidente de ter escolhido “cinicamente contrariar um voto bipartidário e bicamaral do Congresso”

O Presidente dos EUA, Donald Trump, vetou esta terça-feira uma resolução do Congresso que visava acabar com o envolvimento americano na guerra liderada pelos sauditas no Iémen. Trata-se do seu segundo veto presidencial.

“Esta resolução é uma tentativa desnecessária e perigosa de enfraquecer as minhas autoridades constitucionais, pondo em risco as vidas de cidadãos americanos e corajosos membros ao serviço, tanto hoje como no futuro”, escreveu Trump ao Senado. O Presidente acrescentou que a resolução é “desnecessária” em parte porque não há militares americanos no Iémen “a comandar, a participar ou a acompanhar as forças militares da coligação liderada pelos sauditas contra os houthis em hostilidades no Iémen ou que afetem [o Iémen]”.

O veto de Trump já era esperado, uma vez que a resolução era vista como uma reprimenda às suas políticas no Médio Oriente, escreve a CNN.

O efeito Khashoggi

A resolução passou na Câmara dos Representantes (a câmara baixa do Congresso americano) com 247 votos a favor e 175 contra, com 16 republicanos a votarem favoravelmente, ao lado dos democratas. No Senado (a câmara alta), a votação foi de 54 para 46, com sete republicanos a juntarem-se aos democratas.

Os defensores da resolução argumentaram que os EUA não deviam estar envolvidos na guerra sem a autorização explícita do Congresso. Os seus opositores contrapuseram que o país não tem tropas no terreno e se limita a oferecer assistência técnica à Arábia Saudita, um importante aliado na região.

Vários defensores deixaram claro que os seus votos também visavam expressar a frustração com o contínuo apoio de Trump ao príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, implicado no assassínio do jornalista Jamal Khashoggi em Istambul, na Turquia, em outubro do ano passado.

“A paz à frente da política”

A presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, não esclareceu se tenciona pedir uma votação para anular o veto presidencial, mas deixou críticas a Trump no Twitter.

Ver Twitter

“O conflito no Iémen é uma crise humanitária horrível que desafia a consciência de todo o mundo. Contudo, o Presidente escolheu cinicamente contrariar um voto bipartidário e bicamaral do Congresso e perpetuar o envolvimento vergonhoso dos Estados Unidos nesta crise desoladora”, escreveu.

Ver Twitter

“Este conflito tem de acabar agora. A Câmara dos Representantes apela para que o Presidente ponha a paz à frente da política e trabalhe connosco para promover uma solução duradoura para acabar com esta crise e salvar vidas”, acrescentou.

O outro veto de Trump data do mês passado e diz respeito ao chumbo da sua declaração de emergência para a construção de barreiras ao longo da fronteira dos EUA com o México.

3
1