expresso.ptexpresso.pt - 15 abr 08:32

BE quer taxar “borla fiscal” de 3,8 mil milhões aos bancos

BE quer taxar “borla fiscal” de 3,8 mil milhões aos bancos

Proposta do BE muito dificilmente será apoiada pelo Governo. Executivo de António Costa também tem estado a preparar diploma sobre os Ativos por Impostos Diferidos (AID)

Segundo o Bloco de Esquerda (BE), os 3,8 mil milhões de euros de créditos fiscais que os bancos portugueses acumularam no período da troika para abaterem nos impostos a pagar nos próximos anos são “dinheiro perdido”. Por isso mesmo, os bloquistas querem aplicar uma taxa anual de 1,5% a estes créditos que constam dos balanços das instituições bancárias, revela o “Público” esta segunda-feira.

Esta proposta do BE, porém, muito dificilmente será apoiada pelo Governo. O Executivo de António Costa também tem estado a preparar um diploma sobre estes créditos, os ditos Ativos por Impostos Diferidos (AID).

Os dois diplomas vão ser discutidos em conjunto na comissão de Orçamento e Finanças, que primeiro irá promover audições sobre o tema. O BE acredita que está a ser dada uma “borla fiscal” de enormes proporções aos bancos e o Estado não pode desistir de reaver algum dinheiro.

Em declarações ao matutino, Mariana Mortágua, a deputada do BE responsável por esta medida, lembra que além de Portugal, outros países, como Espanha ou Itália, se deparam com o mesmo problema. “Cada país adotou uma solução para a frente. O Governo português decidiu não fazer nada sobre o stock dos direitos especiais que os bancos portugueses têm”, afirma.

5
1