expresso.ptexpresso.pt - 17 mar 10:00

Fundo americano entra com €500 milhões no Belas Clube de Campo

Fundo americano entra com €500 milhões no Belas Clube de Campo

Oaktree Capital fica sócia do grupo de André Jordan para dar gás à nova fase do complexo, que envolve mais 1400 casas

O grupo André Jordan passou a ter um parceiro de peso para acelerar a nova fase de desenvolvimento do Belas Clube de Campo, um empreendimento residencial na região de Lisboa que se estende por mais de mil hectares. A parceria foi estabelecida com os fundos norte-americanos geridos pela Oaktree Capital Management L.P., uma das maiores gestoras de investimentos alternativos a nível mundial, e numa operação que envolve investimentos superiores a €500 milhões.

A nova fase do Belas Clube de Campo, designada de Lisbon Green Valley, inclui um conjunto de apartamentos, townhouses e lotes para construção de moradias que totalizam 1400 unidades.“O investimento da Oaktree, que é uma das maiores e mais prestigiadas empresas de investimento a nível mundial, vai permitir dar resposta à crescente procura, colocando no mercado cerca de 100 unidades por ano”, salienta Gilberto Jordan, CEO do grupo André Jordan. Lembrando que o grupo já tinha iniciado a construção de residências de luxo e de melhoria de infraestruturas no âmbito da nova fase do Belas Clube de Campo (que procurou replicar na região de Lisboa o conceito da Quinta do Lago, criada por André Jordan no Algarve), Gilberto Jordan frisa que “a partir de agora vamos ficar com capacidade financeira e meios próprios para desenvolver todo o projeto imobiliário”.

A Oaktree ficou sócia do grupo André Jordan no Belas Clube de Campo com uma entrada no capital que foi “significativa”, mas que Gilberto Jordan preferiu não quantificar. “Vamos agora trabalhar juntos neste grande projeto, e começar a construir a um ritmo superior”, refere o responsável do empreendimento, prevendo que a construção da nova fase “entre em velocidade de cruzeiro dentro de dois a três anos”. O Expresso sabe que o fundo irá pagar €100 milhões e o grupo Jordan fica com a gestão e parte do ganho potencial. O encaixe servirá para amortizar todas as dívidas à banca.

Lembrando que “a Oaktree tem uma abordagem de longo prazo, focando-se sempre em projetos sólidos e sustentáveis”, Gilberto Jordan frisa que os novos sócios viram estas qualidades refletidas “na qualidade e experiência do nosso grupo”. E além desta parceria, “podem no futuro vir a ser analisados outros investimentos conjuntos”.

6
1