www.jornaldenegocios.ptjornaldenegocios.pt - 16 mar 14:00

As apostas dos fundos que mais sobem em 2019

As apostas dos fundos que mais sobem em 2019

Os fundos que investem em ações norte-americanas lideram os retornos, em 2019. Saiba em que empresas estão a investir os produtos que mais sobem, desde o início do ano.

A recuperação vivida pelos mercados financeiros mundiais está a puxar pelas rendibilidades dos fundos. Desde o início do ano, praticamente todos os fundos apresentam retornos positivos, sendo que a larga maioria regista subidas expressivas. Dois terços sobem mais de 2% e mais de 15% ganha mais de 10%.

Caixagest Acções EUA aposta na indústria

O fundo de ações norte-americanas da CGD regista o melhor desempenho, em 2019. Nos dois primeiros meses do ano, o Caixagest Acções EUA subiu cerca de 14%, animado pela recuperação das bolsas. O fundo tem vindo a reduzir a exposição ao setor tecnológico, não havendo atualmente nenhuma tecnológica nas cinco maiores participações. A Boeing é a maior posição, com 9,73% do património, seguida UnitedHealth Group, com 8,6% do capital. O fundo mantém mais de 22% do dinheiro investido em títulos do setor industrial.

Face ao escândalo que envolveu a fabricante de aviões, após a queda do segundo 737 Max, e acelerou uma descida abrupta das ações, a gestora poderá ter entretanto ajustado a sua posição. O desempenho do fundo também pode ter sido, entretanto, afetado negativamente pelo desempenho negativo desta empresa.

BPI América mantém confiança nas tecnológicas

Além do investimento num contrato de futuro do S&P 500, as maiores posições do BPI América continuam a ser direcionadas para o setor tecnológico. A Microsoft e a Amazon captam 5,5% do capital. A Merck & Co e a Visa são outras das grandes apostas do fundo.

No entanto, ao contrário do Caixagest, o BPI mantém posições mais pequenas, privilegiando uma maior diversificação da carteira. O fundo, que sobe 13,8% em 2019, mantém o património distribuído por mais de uma centena de títulos.

Reestruturações rendem mais de 13%

O BPI Reestruturações é um fundo já bem conhecido dos investidores nacionais e é um dos produtos que está em destaque em 2019. Com uma valorização de 13,4% nos dois primeiros meses do ano, o fundo, que visa ganhar com operações de reestruturação operacional ou financeira em empresas, mantém o grosso do seu investimento no setor tecnológico (25,2%) e na saúde (21%). A norte-americana Regeneron Pharmaceuticals é a maior participação na carteira, seguida pela companhia de artigos desportivos Nike.

BPI Europa aposta na recuperação do setor automóvel

Depois de ter vivido um ano muito negativo, devido às tensões comerciais a nível mundial, o setor automóvel dispara 9,5% em 2019, um movimento que tem estado a ser aproveitado pelo BPI Europa. O fundo de ações europeias, que sobe mais de 12% desde o início do ano, mantém uma forte aposta nas fabricantes automóveis. Companhias como a Porsche e a Renault destacam-se na lista das maiores posições. Além destas empresas, o fundo está ainda a apostar em empresas de consumo, como a Inditex.

NB Momentum privilegia aposta diversificada

O fundo NB Momentum mantém uma estratégia de investimento diversificada a nível global. Com mais de 45% do capital investido nos EUA e cerca de 32% na Zona Euro, as maiores participações são, porém, em contratos de futuro sobre o índice MSCI Mercados Emergentes e sobre o nipónico Nikkei, ambos com mais de 5% do património. Microsoft e Apple, seguidas pela L’Óreal completam a lista das cinco maiores posições do fundo do Novo Banco. O produto mantém 70 títulos em carteira, segundo a Morningstar.

6
1