visao.sapo.ptvisao.sapo.pt - 16 mar 19:00

Já se sentiu com ressaca sem ter bebido? Há uma explicação

Já se sentiu com ressaca sem ter bebido? Há uma explicação

Não é só o álcool que provoca os sintomas associados à ressaca. Certos alimentos, alergias e medicamentos podem causar os mesmos efeitos

A ressaca é o mais temido e detestado efeito secundário de uma noite de diversão com álcool à mistura - no dia seguinte, são comuns sintomas como dores de cabeça, sensibilidade à luz e enjoos, devido à desidratação provocada pelo álcool em excesso no organismo, que obriga o fígado a trabalhar mais do que o habitual para eliminar o invasor.

Mas o álcool não é fonte única das ressacas. Há outras causas possíveis: medicamentos, doenças, alimentos... Veja quais são e como combater ou prevenir ou seus efeitos.

Alergias

Reações alérgicas a ácaros ou rinite alérgica podem deixar marcas e causar desidratação, exaustão e irritabilidade, tal como uma simples ressaca. Estes sintomas ocorrem por causa do inchaço e inflamação das fossas nasais e do impacto que estas têm na qualidade do sono. A melhor forma de prevenir o problema, garantindo uma noite bem dormida, é aplicar um spray nasal ou gotas que desentupam o nariz.

Enxaquecas

Estima-se que 8 a 15% dos cidadãos dos países ocidentais sofram de enxaqueca, com as suas terríveis dores de cabeça, náuseas e hipersensibilidade à luz. E o pior é que uma enxaqueca pode não terminar quando... termina. Muita gente sente a chamada "ressaca da enxaqueca", que inclui tonturas, dificuldades de concentração e dores de cabeça. Sintomas que podem durar dias e que, segundo alguns especialistas, serão provocados pelos efeitos da enxaqueca no tronco cerebral, que controla o fluxo de mensagens entre o cérebro e o resto do corpo. O melhor remédio são anti-inflamatórios, como o ibuprofeno, em detrimento do simples paracetamol. Evitar medicação e produtos com codeína ou cafeína é outro conselho dos médicos. Por outro lado, alimentos com carboidratos de libertação lenta, como papas de aveia, ajudam a igualar o açúcar no sangue e, assim, a evitar tonturas.

Comprimidos para dormir

Comprimidos sem prescrição para dormir, podem ajudar a relaxar e a adormecer. Contudo, como, normalmente possuem doses fortes de anti-histamínico, podem deixar as pessoas atordoadas no dia seguinte: o corpo continua a metabolizar estes medicamentos mesmo depois do acordar. Os sintomos de ressaca ainda são, na verdade, os efeitos sedativos. O melhor, nestes, casos, é reiniciar o relógio biológico, apanhando sol.

Alimentos

Uma forte sensibilidade a certos alimentos, como ao trigo (doença celíaca) e a laticínios (intolerância à lactose), podem causar sintomas extraintestinais: cansaço, falta de concentração e uma sensação geral de desconforto. A receita é a mesma que para o álcool: muitos líquidos e descanso.

Hipoglicémia

Apesar de ser normalmente associada a quem tem diabetes, os baixos níveis de açúcar no sangue, ao ponto de causarem tonturas e tremores, podem afetar qualquer pessoa, especialmente quem salta refeições ou abusa das atividades físicas. Muitas vezes, mesmo depois de se comer, os sintomas mantêm-se: é o corpo a proteger-se contra o baixo nível de açúcar no sangue, estimulando o sistema nervoso e hormonal (de forma a "encorajar" o corpo a digerir a comida mais rapidamente para aumentar o açúcar). O melhor é ingerir alguma coisa doce - desde que não seja chocolate, uma vez que, sendo rico em gordura, acaba por atrasar a absorção de açúcar. Depois disso, deve comer-se uma refeição rica em carbohidratos de libertação lenta, como uma tigela de aveia ou pão de trigo integral e banana, para manter os níveis de açúcar.

Anestésicos

Depois de uma anestesia geral, os pacientes podem sentir-se de rastos nos dias seguintes - a anestesia afeta o sistema metabólico e imunitário, levando o corpo a sentir-se lento e sem energia. Os medicamentos em si normalmente demoram até quatro horas para serem eliminados do corpo. No entanto, o acumular de stress pós-operatório (que liberta uma grande quantidade de hormonas), assim como as alterações nos padrões de sono, que acompanham as estadias em hospitais, podem contribuir para a sensação de ressaca. A solução é beber-se muitos líquidos (sem álcool....) e manter uma rotina de sono, deitando-se todas as noites à mesma hora.

Comprimidos para o enjoo

Alguns medicamentos para prevenir enjoos em viagens, que devem ser tomados duas horas antes da viagem (quando não na noite anterior), podem fazer uma pessoa sentir-se ressacada durante várias horas, devido aos anti-histamínicos, que causam sonolência e demoram muito tempo a abandonar o corpo.

Batimento cardíaco irregular

Quando os batimentos estão demasiado acelerados ou irregulares (como reação a um momento de ansiedade, falta de sono ou após o consumo exagerado de café), o coração pode não bombear sangue de forma eficaz para o resto do corpo, privando de oxigénio certos órgãos e tecidos, desencadeando tonturas. Os efeitos semelhantes à ressaca que se seguem podem ser combatidos através de exercício físico leve, como caminhar durante cinco ou dez minutos. Atenção: se acontecer regularmente, é imperativo visitar um médico.

ASSINE AQUI A VISÃO E RECEBA UM SACO DE OFERTA
10
1