www.sabado.ptleitores@sabado.cofina.pt (Sábado) - 15 mar 09:00

O Tinder do mobiliário

O Tinder do mobiliário

O cortejo de horrores começou com emails a quererem indicar-me o percurso que o meu sofá levaria até chegar a minha casa - Opinião , Sábado.

Aquele domingo ia trabalhar a partir do sofá. Entre parênteses, só uma coisa que não é pouca: o meu sofá é perfeito para trabalhar. Por isso, em vez de me atirar ao trabalho, pus-me a pensar no trabalho que me deu ter este sofá. Não está escrito mas vai ficar: foi em dezembro, depois do Natal - mas que Carnaval. Começámos bem, eu e ele, a apaixonarmo-nos à primeira vista. Eu achei-o caro, ele achou-me forreta, toda a gente à volta nos achou graça. Enfim, achámo-nos, que é o que interessa.

Como a loja onde o conheci é um Tinder do mobiliário, tratei de fazer a encomenda como quem faz um match. Lembrar-me-ia mais tarde de umas histórias do Tinder que não acabaram bem mas seria tarde demais. Voltando: o cortejo de horrores começou com insistentes emails a quererem indicar-me o percurso que o meu sofá levaria até chegar à minha morada.

Achei desconfortável: toda a gente tem um passado, o meu sofá tinha direito aos seus segredos, o que era preciso era confiarmos um no outro; só que aquela loja não queria saber de privacidade e eu devia ter desconfiado disso. Também achei tonto: que me interessava saber se o meu sofá estava no armazém x ou y quando só pensava no momento de o ver chegar a casa. O pior, contudo, foi o que achei depois: no dia da entrega, a loja não encontrava o meu match. Não o podia conhecer, diziam-me, porque ele estava em parte incerta.

Em vários telefonemas repeti uma pergunta: não seria exatamente esse o trabalho da loja (ainda por cima sendo aquela uma loja que se orgulhava de pensar no cliente primeiro), saber onde estava o meu sofá? Foi duro para mim e imagino que tenha sido ainda mais duro para ele, perdido entre relações sem futuro a ver o verdadeiro amor por um canudo. Na altura, jurei que faria uma reclamação, que aquela loja ainda teria muito trabalho comigo. Agora que estamos finalmente juntos, num match perfeito, confesso: quando ele chegou esqueci-me do resto, não me dei mais ao trabalho. Agora sim, vamos trabalhar nesta relação?

4
1