sol.sapo.ptsol.sapo.pt - 14 mar 18:00

Mulher que bateu no filho que recusava tomar banho vai realizar trabalho comunitário e ficar afastada da criança

Mulher que bateu no filho que recusava tomar banho vai realizar trabalho comunitário e ficar afastada da criança

A sentença é do Tribunal de Pontevedra e prevê ainda que, durante seis meses, a mulher tenha que manter uma distância de 200 metros para o filho.

Uma mulher foi condenada a dois meses de prisão pelo tribunal de Pontevedra, na Galiza, por ter esbofeteado o filho de dez anos por este não querer tomar banho. No entanto, a decisão foi agora ratificada, depois de ter sido tomada por um tribunal de primeira instância.

Segundo o jornal espanhol El País, o juíz aceitou substituir a pena de prisão da mulher por serviço à comunidade, mas decretou o afastamento desta em relação ao filho por seis meses. Além disso, vai ter ainda de pagar as custas do processo.

No acórdão, os juízes consideram que a mãe se excedeu na forma como lidou com o filho, tendo ultrapassado o limite "intransponível da integridade física e moral" das crianças, e acrescentam que o exercício de autoridade dos pais "só pode ser orientada para o benefício dos filhos com o objetivo de alcançar a sua educação integral"

A mulher pode ainda recorrer da sentença para o Supremo Tribunal. 

Recorde-se que a agressão remonta a 20 de maio de 2018, altura em que o menor se recusou a tomar banho, facto que originou uma discussão, levando a mãe a agredir o filho. As marcas dessa mesma agressão ficaram marcadas na face do rapaz.

A criança foi posteriormente observada por um médico, mas acabou por não precisar de tratamento. 

123
1