www.sabado.ptleitores@sabado.cofina.pt (Sábado) - 14 fev 08:00

O livro de Bruno de Carvalho

O livro de Bruno de Carvalho

Foi uma agradável surpresa perceber que Bruno de Carvalho se entregou totalmente a este projecto. Nunca senti estar a trabalhar com alguém que se regesse pela máxima quero, posso e mando. Pelo contrário. Naquilo que foi o nosso contacto, sempre se mostrou sereno, calmo e sem qualquer problema ou resistência em abordar os vários assuntos. Daí o título do livro: Sem Filtro - Opinião , Sábado.

"Está tudo esclarecido? Então vamos começar a trabalhar." Foi isto que eu disse no final da minha primeira reunião com Bruno de Carvalho sobre o livro que viríamos a fazer nas semanas seguintes. Da minha parte, havia a necessidade de entender, ao detalhe, aquilo que o antigo presidente do Sporting queria dizer. Poderia sempre contar comigo para um relato frontal sobre o seu período à frente do clube de Alvalade, sem deixar nenhum dos assuntos mais polémicos de fora, e respondendo a todas as perguntas, por mais incómodas que estas pudessem ser.

Do outro lado, houve uma concordância imediata. Mais importante do que isso, porém, foi ver que a mesma postura se verificou nas várias conversas que tivemos. Neste tipo de trabalhos, há sempre o receio de que as pessoas possam fugir a alguns temas no momento das entrevistas. Mas foi uma agradável surpresa perceber que Bruno de Carvalho se entregou totalmente a este projecto. Nunca senti estar a trabalhar com alguém que se regesse pela máxima "quero, posso e mando". O tal eucalipto que seca tudo à sua volta. Pelo contrário. Naquilo que foi o nosso contacto, sempre se mostrou sereno, calmo e sem qualquer problema ou resistência em abordar os vários assuntos. Daí a escolha do título Sem Filtro. E é com isso mesmo que os leitores podem contar.

Também há quem possa continuar a interrogar-se sobre o motivo de ter sido eu a escrever o livro de Bruno de Carvalho, tendo em conta as várias trocas de palavras menos simpáticas entre nós durante o período em que ele presidiu o Sporting. A resposta é simples: nessa primeira reunião falámos de forma muito frontal e tudo ficou esclarecido. Temos a mesma opinião: as pessoas entendem-se a falar e foi precisamente isso que aconteceu. Percebemos que tínhamos condições de realizar um bom trabalho. Muitos podem não gostar dele, muitos podem não gostar de mim, mas o conteúdo deve ser o mais importante em cada análise que venha a ser feita a partir daqui.

O produto final será lançado esta sexta-feira, dia 15 de Fevereiro, e conta com muitas histórias inéditas do período em que Bruno de Carvalho foi presidente do Sporting. Há de tudo. Desde confissões polémicas a episódios engraçados com jogadores e agentes. E não faltam relatos de situações vividas com Jorge Jesus, Marco Silva, Rui Patrício, William Carvalho, Jaime Marta Soares, José Maria Ricciardi, Jorge Mendes ou os rivais Luís Filipe Vieira e Pinto da Costa, entre tantos outros. Os ataques à Academia, e tudo o que aconteceu desde esse dia, também têm amplo destaque.

A partir daqui, com a leitura do livro completo, cada um poderá tirar as suas ilações e emitir a opinião que bem entender. Será sempre mais informada do que estar a julgar o todo apenas por uma parte. Será sempre mais completa do que querer adivinhar tudo só com base na leitura de alguns excertos que já foram pré-publicados em diferentes órgãos de comunicação social.

Uma nota final para Octávio Machado. Ao contrário do que ele disse no domingo, dia 10, na CMTV, o livro de Bruno de Carvalho não foi "escrito por um benfiquista" com "ligações" sabe-se lá ao quê (uma vez que não especificou, ao bom estilo do "vocês sabem do que eu estou a falar", embora nunca ninguém saiba). Foi escrito, isso sim, por um autor que, com este, já tem 13 livros publicados, incluindo biografias de alguns dos seus companheiros de painel, como Paulo Futre ou Fernando Mendes. Foi escrito pela pessoa que colabora, há vários anos, com diferentes publicações do mesmo grupo que lhe paga para ele comentar, com maior ou menor conhecimento, todas as semanas. Essas são as minhas ligações. Estou ligado ao meu trabalho. Nada tenho contra Octávio Machado. Também não me dizem respeito os problemas entre ele e Bruno de Carvalho. Mas para a próxima deve informar-se melhor antes de falar. Afinal, ali bem perto, tem várias pessoas que lhe podem dizer o que precisa de saber sobre mim. Sem ressentimentos, no entanto. Acontece aos melhores. Um abraço para ele e tudo a correr bem.

7
1