expresso.ptexpresso.pt - 14 fev 08:08

Alemanha estagnou no final de 2018

Alemanha estagnou no final de 2018

O 'motor' da zona euro escapou a uma recessão no segundo semestre de 2018, mas não conseguiu crescer no último trimestre do ano, revelou esta quinta-feira o Destatis, o organismo federal de estatística germânico. As previsões apontavam para um crescimento ligeiro de 0,1%

A economia alemã escapou a uma recessão no segundo semestre de 2018, mas desapontou as previsões de algum crescimento avançadas pelos analistas para o último trimestre do ano. O 'motor' da zona euro estagnou entre outubro e dezembro do ano passado, revelou esta quinta-feira o Destatis, o organismo federal de estatísticas.

O crescimento em cadeia no quarto trimestre - em relação aos três meses anteriores - foi de 0%, face às previsões que apontavam para uma ligeira aceleração de 0,1%. No terceiro trimestre, a economia germânica tinha recuado 0,2%, e caso tivesse continuado a cair nos três meses seguintes teria entrado no que os economistas designam por recessão técnica, ou seja, uma descida em termos reais do Produto Interno Bruto em dois trimestres consecutivos.

Em virtude da estagnação de final do ano, o Destatis corrigiu ligeiramente em baixa a primeira estimativa para o crescimento anual da economia alemã, de 1,5% para 1,4%. No entanto, em termos ajustados, a estimativa mantém-se em 1,5%, um abrandamento significativo em relação ao crescimento de 2,2% em 2016 e 2017.

Nas previsões de inverno publicadas na semana passada, a Comissão Europeia aponta para a continuação da desaceleração em 2019, com o crescimento a descer para 1,1%. O ministro da Economia do governo da chanceler Merkel já admitiu que o crescimento este ano possa ser ainda mais baixo, de 1%, o que colocaria a economia alemã como a segunda mais lenta, depois da Itália, que deverá quase estagnar.

Bruxelas espera que a maior economia da zona euro cresça 0,4% no primeiro trimestre de 2019 em relação aos três meses anteriores e os analistas estão otimistas esperando que a indústria automóvel retome a expansão e que a China anime a exportação alemã, fruto do pacote de estímulos orçamentais lançado por Pequim para contrariar os efeitos negativos da guerra comercial com os EUA. Mas, o índice Sentix, baseado na opinião dos investidores alemães, caiu em fevereiro pela quarta vez consecutiva, registando o nível mais baixo em seis anos.

6
1