observador.ptobservador.pt - 14 fev 08:56

Airbus vai deixar de fabricar A380, o maior avião de passageiros do mundo, em 2021

Airbus vai deixar de fabricar A380, o maior avião de passageiros do mundo, em 2021

Em 2017, foi noticiado que o aeroporto de Lisboa iria iniciar obras para poder receber voos do avião conhecido como Superjumbo, que estariam concluídas em 2021. Agora já não serão necessárias.

O grupo europeu Airbus anunciou esta quinta-feira que vai deixar de fabricar o modelo A380, o maior avião comercial do mundo, em 2021, depois de o seu principal cliente, a Emirates, ter alterado parte da sua encomenda pelos modelos mais pequenos, como o A330-900 e o A350-900.

A Emirates, que, de acordo com as encomendas, deveria ter recebido até agora um total de 162 aviões A380, vai comprar apenas 123, tendo assinado um novo contrato com a Airbus para adquirir quarenta A330-900 e trinta A350-900.

Em comunicado, o CEO da Airbus, Tom Enders, explicou que como resultado dessa decisão, não existe “uma carteira de pedidos substancial do A380 e, portanto, não há base para apoiar a produção do A380, apesar de de todos os esforços de vendas” realizadas com outras companhias aéreas nos últimos anos.

Isso leva-nos a finalizar as entregas do A380 em 2021″, concluiu Enders, assumindo que é uma decisão “dolorosa”.

Com dois pisos, o Airbus A380, também conhecido como Superjumbo, pode transportar até 850 passageiros e, devido ao seu tamanho, não consegue aterrar em todas as pistas. Em Lisboa, por exemplo, este avião não pode aterrar.

Mas, em 2017, o Jornal Económico noticiou que estavam em curso obras no aeroporto de Lisboa para adaptar as infraestruturas a este avião — um investimento de entre 250 e 350 milhões de euros. As obras deverão estar prontas em 2021, precisamente o ano em que a produção do avião será descontinuada.

O fim da produção do Airbus A380 vai afetar cerca de 3.500 postos de trabalho.

A Airbus estima que desde o voo inaugural, em 2007, mais de 190 milhões de passageiros tenham viajado no A380.

Abusos na Igreja

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
29
1