observador.ptobservador.pt - 14 fev 08:03

Lucros da MGM em Macau subiram 32% para 2,4 mil milhões de dólares

Lucros da MGM em Macau subiram 32% para 2,4 mil milhões de dólares

A MGM registou aumento de 9% nas receitas líquidas, para 11,8 mil milhões de dólares. Lucros antes de juros, impostos e depreciações aumentaram 6% face aos 536 milhões registados no ano anterior.

A operadora de hotéis e casinos MGM anunciou esta quinta-feira um aumento de 9% nas receitas líquidas consolidadas, para 11,8 mil milhões de dólares, com as receitas de Macau a aumentarem 32%, para 2,4 mil milhões, o ano passado.

“As receitas líquidas consolidadas para 2018 foram 11,8 mil milhões de dólares [10,4 mil milhões de euros à cotação desta quinta-feira], um aumento de 9% comparado com o ano anterior, com as receitas do Las Vegas Strip Resorts a caírem 1%, as Operações Regionais a descerem 8% e as receitas líquidas da MGM China a subirem 32%”, lê-se no comunicado distribuído pelo gigante do entretenimento.

Na nota, a MGM afirma que a sua operação em Macau, território onde tem dois casinos, registou um EBITDA (a sigla inglesa para denominar os lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) de 568 milhões de dólares, um aumento de 6% face aos 536 milhões registados no ano anterior, para o qual muito contribuiu a abertura do segundo casino em Macau em 2018.

A gigante hoteleira e de jogo viu as suas ações subirem 1,4% no final da negociação bolsista em Nova Iorque, apesar de os resultados relativos ao último trimestre terem registado um prejuízo de 23 milhões, que compara com os 1,4 mil milhões de dólares de lucros no trimestre anterior, algo que a companhia atribuiu a uma despesa fiscal que anulou os ganhos do terceiro trimestre de 2018.

As receitas da MGM China “beneficiaram da abertura do GMG Cotai em fevereiro, que contribuiu com 729 milhões de dólares de receita líquida”, segundo a empresa, acrescentando que “a receita operacional foi de 216 milhões de dólares, que compara com os 204 milhões no ano anterior”.

O diretor executivo da MGM China, Grant Bowie, comentou que o objetivo próximo passa pela aposta no mercado de luxo e aumento da quota de mercado. “Estamos a construir fôlego no MGM Cotai e muito entusiasmados com o lançamento da Mansion villas [alojamento de luxo] que pretende oferecer experiências únicas e exclusivas para os nossos clientes de luxo”, disse o responsável.

“O nosso foco é colocar todo o MGM Cotai em pleno funcionamento e continuar a conquistar quota de mercado, o MGM Cotai vai potenciar a diversificação do produto e trazer formas de entretenimento inovadoras e mais avançadas para Macau, à medida que cresce enquanto destino global de turismo”, apontou.

Macau, a capital mundial do jogo e o único local na China onde os casinos são legais, registou, no ano passado, quase 33 mil milhões de euros em receita do jogo, o que representa um aumento de 14% em relação ano de 2017, de acordo com dados oficiais divulgados no princípio do mês.

Operam no território seis concessionárias: Sociedade de Jogos de Macau, fundada por Stanley Ho, Galaxy, Venetian, Melco, Wynn e MGM.

Abusos na Igreja

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
2
1