observador.ptobservador.pt - 14 fev 09:29

Esta cama inteligente não permite “ultrapassagens”

Esta cama inteligente não permite “ultrapassagens”

Se estava a pensar que já tinham inventado tudo, imagine por um momento uma cama que impede que se invada a “faixa” do cônjuge. A Ford garante que a Lane Keeping Bed resolve o problema.

Só alguém com dificuldades em fazer com que o seu parceiro na cama durma toda a noite do seu lado, em vez de se ‘passear’ de um lado para o outro, incomodando quem quer dormir, se lembraria de inventar uma cama que impeça as “ultrapassagens”, isto é, que um dorminhoco com maior dinamismo nocturno invada o espaço reservado ao outro. Foi exactamente isso o que decidiram fazer os técnicos da Ford.

Para a marca americana, o objectivo foi adaptar um dos sistemas que utilizam nos seus veículos, que impede o condutor de mudar inadvertidamente de faixa de rodagem, à cama. Em condições normais, um dos parceiros inicia uma migração rumo à zona reservada ao outro, deixando este, a vítima, sem espaço para dormir com o necessário conforto. É aqui que intervém a Lane Keeping Bed.

Munida de sensores de pressão para detectar a posição relativa dos corpos, a cama da Ford possui igualmente uma espécie de tapete rolante que se pode deslocar em ambas as direcções. Assim que a cama detecta a invasão do espaço alheio, trata de deslocar o colchão de forma a penalizar o infractor, recolocando-o no seu lugar e permitindo que o parceiro em vias de ser ultrapassado tenha de novo espaço para “fugir”.

O conceito parece bom mas, à partida, levanta-nos algumas dívidas. Por exemplo, como se impede o colchão deslizante de atirar as almofadas para o chão? Ou como lida o sistema com as movimentações que ocorram quando os intervenientes estão bem acordados?

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora
Abusos na Igreja

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
21
1