eco.sapo.pteco.sapo.pt - 13 fev 21:16

Energia brilha em Wall Street. GE dispara 4%

Energia brilha em Wall Street. GE dispara 4%

A farmacêutica Teva destacou-se pela negativa com um tombo de quase 8%. A sessão ficou também marcada pelo anúncio do IPO da Levi Strauss.

O rally acionista em Wall Street continua pela terceira sessão consecutiva. O otimismo dos investidores prende-se com as expetativas que os EUA e a China possam chegar a um acordo comercial, enquanto os dados da inflação acalmaram as preocupações que um sobreaquecimento da economia pudesse levar a Reserva Federal norte-americana a descer a taxa de juros de referência.

Em Beijing, onde se encontra para negociar um acordo comercial, o Secretário de Estado do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, afirmou que “até agora, está tudo bem” sobre as conversações, que classificou como “produtivas”. Matthew Keator, partner da gestora de patrimónios Keator Group, explicou, em declarações à agência Reuters, que “o mercado está a antecipar um acordo com a China”.

A sessão ficou também marcada pela divulgação de dados da inflação nos EUA. Os preços dos combustíveis mais baixos ajudaram a abrandar a taxa de inflação global em 1,6%, o ritmo mais lento desde junho de 2017, enquanto a inflação subjacente (excluindo alimentos e energia) situou-se em 2,2% em janeiro, face às projeções de uma desaceleração para 2,1%.

O índice industrial Dow Jones ganhou 0,44% para 25.536,49 pontos, enquanto o financeiro S&P 500 subiu 0,27% para 2.752,26 pontos e o tecnológico Nasdaq valorizou 0,08% para 7.420,38 pontos.

Numa altura em que a época de resultados se aproxima do fim, foi a energia que se destacou pela positiva, em parte devido à retoma dos preços do petróleo. A energética General Electric disparou 3,91% para 10,37 dólares por ação a beneficiar das notícias de que registou um número recorde de pedidos de turbinas a gás em 2018. Em sentido contrário, a farmacêutica Teva Pharmaceuticals tombou 7,69% para 6.424 dólares graças a um outlook para 2019 mais fraco que o esperado.

A famosa marca de jeans Levi Strauss anunciou também esta quarta-feira que quer entrar para a bolsa. Pretende captar 100 milhões de dólares (88,5 milhões de euros) através de uma Oferta Pública Inicial (IPO, na sigla em inglês). O encaixe financeiro será usado pela empresa para cobrir custos operacionais com a expansão para mercados emergentes (incluindo China, Índia e Brasil), estando aquisições estratégicas fora dos planos da empresa.

No mercado cambial, o dólar voltou aos ganhos depois de uma interrupção no rally (que era já o maior em três anos), que durou apenas na terça-feira. A divisa norte-americana apreciou-se 0,53% contra o euro, para 1,1266 dólares.

3
1