rr.sapo.ptOpinião de Ribeiro Cristovão - 13 fev 00:00

Prosseguir a luta

Prosseguir a luta

O campeão português deixou à vista sinais de que a recuperação é possível no estádio do Dragão, no próximo dia 6 de Março.

A noite passada fez disparar vários alarmes e em diversos locais.

Desde logo, em Lisboa, onde o Benfica tomou conhecimento de um castigo severo que lhe foi aplicado em consequência das suas relações com as claques, e que remonta ao ano de 2016.

Depois, há também registo de mais sinais, de características e repercussão diferentes.

Trata-se dos dois jogos que abriram os oitavos-de-final da Liga dos Campeões e dos quais resultaram avisos muito sérios para o Futebol Clube do Porto e do Manchester United.

Quanto ao castigo imposto ao Benfica, convirá esclarecer, desde já, que uma providência cautelar, de resto já anunciada pelo clube da Luz, suspenderá a sua imediata execução.

Importante é igualmente acrescentar que o eventual cumprimento da pena não passará por jogos à porta fechada, mas sim a efectiva proibição de utilização do próprio estádio, sua propriedade.

Três anos depois da queixa do Sporting, que apontava o dedo ao apoio do Benfica a claques não legalizadas em sete jogos da época 2016/2017, o castigo surgiu de forma supreendente.

Quanto ao futebol jogado, o prejuízo maior calhou aos ingleses do Manchester United.

A derrota no palco dos sonhos imposta pelo Paris Saint Germain poderá ter arrumado de vez as suas ambições de ir mais longe na prova. E o desfecho, 2-0, não suscita quaisquer dúvidas.

Em relação ao Futebol Clube do Porto, a situação tem contornos diferentes.

Isto porque mesmo tendo saído derrotado do Olímpico de Roma, o campeão português deixou à vista sinais de que a recuperação é possível no estádio do Dragão, no próximo dia 6 de Março.

Até o diário desportivo italiano “La Gazzetta dello Sport” reconhece que “Zaniolo faz sonhar a Roma, mas o Porto continua na corrida”.

Nessa altura, podendo já contar com jogadores agora impedidos, os portistas poderão chegar à remontada. Globalmente, a sua equipa tem mais qualidade e, a jogar em casa, tudo poderá ser diferente. Mas, atenção, a Roma também virá suficientemente avisada e preparada para o embate da segunda mão pelo que, neste momento, nem italianos nem portugueses poderão afirmar que a questão está resolvida.

2
1