observador.ptobservador.pt - 12 fev 10:56

EUA. Investigação norte-americana revela 380 abusadores sexuais na Igreja Batista do Sul

EUA. Investigação norte-americana revela 380 abusadores sexuais na Igreja Batista do Sul

Ao longo de 20 anos pastores, diáconos, pastores e professores terão feito 700 vítimas. Mais de duas centenas dos abusadores foram acusados e 90 ainda cumprem pena de prisão.

A Igreja Batista do Sul, nos Estados Unidos da América (EUA), terá 380 líderes e voluntários envolvidos em abusos sexuais, desde 1998, revela uma investigação citada pela CNN. Os abusadores terão feito ao longo dos últimos 20 anos mais de 700 vítimas.

Segundo a CNN, que cita o trabalho dos dois jornais texanos, algumas das vítimas foram obrigadas a abortar e outras a perdoar os agressores sexuais, mantendo as rotinas religiosas junto da congregação batista. Entre os abusadores encontram-se pastores, diáconos, professores e voluntários.

Dos 380 homens detetados pela investigação, 220 foram acusados de crimes sexuais ou chegaram a acordo com as vítimas. Dos 220, 90 estão ainda a cumprir pena de prisão e 100 fazem parte do registo norte-americano de abusadores sexuais.

O presidente da congregação religiosa, J.D. Greer, não respondeu às questões colocadas pelos jornais norte-americanos mas, numa série de tweets, considerou as acusações como “pura maldade” e garantiu que “a segurança das vítimas é mais importante do que a reputação da igreja”. Para J.D. Greer, a Igreja Batista do Sul deve “mudar a forma como previne o abuso, cooperar totalmente com as autoridades e agir no plano teóricos para melhorar o sistema”.

We—leaders in the SBC—should have listened to the warnings of those who tried to call attention to this. I am committed to doing everything possible to ensure we never make these mistakes again. 4/9

— J.D. Greear (@jdgreear) February 10, 2019

A Igreja Batista do Sul reúne 47 mil igrejas autónomas que não estão organizadas numa estrutura hierárquica. Ainda assim, o porta-voz da organização, Sing Oldham, garante que “as igrejas têm sido chamadas a relatar às autoridades todas as suspeitas sobre abusos sexuais”, acrescentando também que “têm sido criados recursos para as igrejas protegerem da melhor forma os seus fiéis”.

Em 2015, a Igreja Batista do Sul registava mais de 15 milhões de membros, tornando-se assim a maior igreja batista do mundo e a maior confissão protestante nos EUA.

A investigação do The Houston Chronicle e do San Antonio Express-News, citada pela CNN, analisou documentos dos tribunais federais e estaduais dos Estados Unidos, bem como registos de estabelecimentos prisionais e documentos oficiais oriundos de 20 estados norte-americanos e ainda os registos nacionais de abusadores sexuais.

Abusos na Igreja

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
11
1