visao.sapo.ptvisao.sapo.pt - 12 fev 18:02

Faltam edifícios de escritórios

Faltam edifícios de escritórios

Pouca oferta de espaços determina evolução negativa

No final do mês de janeiro de 2019, a área de escritórios arrendada na área metropolitana de Lisboa somou um total aproximado de 9.400 m2, revelando um decréscimo residual na ordem dos 3% comparativamente ao período homólogo de 2018, contas feitas pela consultora Savills.

“O ano 2019 arranca com um ligeiro atenuar da atividade de ocupação já esperado pela falta de oferta no mercado e que irá marcar os resultados deste ano. Ainda assim o mercado registou 3 operações acima dos 1.000 m2, que vieram elevar uma lista de ocupações maioritariamente dominada por ocupações de espaços abaixo dos 500 m2”, menciona Alexandra Portugal Gomes, Analista do Departamento de Research da Savills Portugal.

A zona 2 (CBD, no eixo entre a Avenida da República e as Amoreiras) destacou-se como a zona com melhor desempenho num total de 5.494 m2 de espaços absorvidos.

Nas restantes zonas de mercado, foi registada uma descida generalizada da atividade de ocupação. Os setores de atividade Serviços Empresas e TMT’s (onde se incluem empresas de telecomunicações e tecnologias de informação) foram os setores mais ativos, tendo ocupado 4.691 m² e 2.007 m² respetivamente.

“Estes dois setores de atividade têm sido os grandes impulsionadores do mercado de escritórios de Lisboa e prevê-se que mantenham os seus níveis de dinamismo. Apesar da oferta escassa que este ano se fará sentir com maior intensidade, o mercado de Lisboa continuará na lista de preferências de localização de um leque variado de empresas internacionais”, referiu Rodrigo Canas, diretor do Departamento de Escritórios da Savills Portugal.


4
1