observador.ptobservador.pt - 12 fev 17:45

Receitas aduaneiras em Angola cresceram 43,8% em 2018

Receitas aduaneiras em Angola cresceram 43,8% em 2018

Os números resultam do trabalho desenvolvido nas 79 fronteiras terrestres que a Agência Geral Tributária angolana tem sob sua tutela e nas 36 delegações aduaneiras nas 18 províncias do país.

As receitas aduaneiras em Angola cresceram em 2018 43,8% face a 2017, totalizando 51.703 milhões de kwanzas (145,2 milhões de euros), indicou esta terça-feira o administrador da Agência Geral Tributária (AGT) angolana.

José Dinis Dungo, citado pela Angop, falava na abertura de uma reunião tripartida entre as Administrações Aduaneiras de Angola, República Democrática do Congo (RDC) e da Zâmbia, todos os membros da Comunidade dos Países da África Austral (SADC).

Segundo o administrador, os números resultam do trabalho desenvolvido nas 79 fronteiras terrestres que a AGT tem sob sua tutela e nas 36 delegações aduaneiras nas 18 províncias do país, supervisionadas por 3.800 trabalhadores.

Tendo em conta o crescente volume de trocas comerciais entre os países africanos, José Dinis Dungo considerou “impérios” partilhar experiências e iniciativas para se reforçar a colaboração nos postos fronteiriços comum e com infraestruturas modernizadas.

É importante melhorar a conexão de sistemas informáticos e efetuar patrulhamentos para se conseguir uma maior arrecadação de direitos aduaneiros e demais imposições, através da cooperação estreita entre administrações aduaneiras”, defendeu.

O primeiro dia do encontro, que decorrerá até sexta-feira, ficou marcado pela ausência de representantes da RDCongo.

Abusos na Igreja

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
3
1