observador.ptobservador.pt - 12 fev 13:10

Apresentador da Fox News disse não acreditar em germes e estar há dez anos sem lavar as mãos

Apresentador da Fox News disse não acreditar em germes e estar há dez anos sem lavar as mãos

A afirmação de Pete Hegseth foi feita em direto num dos programas favoritos de Trump e gerou polémica nas redes sociais. O comentador disse que decidiu dizer o que se diz quando não está "no ar".

O apresentador da Fox News, Pete Hegseth, disse em direto no programa Fox & Friends – um dos favoritos de Donald Trump – que “os germes não são reais”. “Eu não os vejo, portanto eles não são reais”, garantiu, antes de acrescentar que não lava as mãos “há mais de uma década”.

Conhecido por ser um palco para teorias da conspiração, o programa Fox & Friends estava a discutir se existiam ou não problemas em comer pizza que não tivesse sido conservada no frio. Pete Hegseth não viu problemas em comer a pizza do dia anterior e no seguimento dessa discussão afirmou não acreditar nos germes, o que motivou fortes gargalhadas. Até porque, explicou, uma das suas resoluções para 2019 passavam precisamente por “dizer em direto” o que geralmente se diz “sem estar no ar”.

Fox News’ @PeteHegseth admits, unprompted, that he hasn’t washed his hands in 10 years.

“Germs are not a real thing,” Pete says. “I can’t see them, therefore they’re not real.” pic.twitter.com/9hsAb9YA9j

— Aaron Rupar (@atrupar) February 10, 2019

Como não poderia deixar de ser, as declarações do comentador geraram polémica nas redes sociais, avança a BBC. Houve quem estivesse de acordo e quem se preocupasse com tais afirmações em espaço público.

I wonder if @PeteHegseth would be cool with restaurant workers preparing his food after deliberately not washing their hands?

— Bradley P. Moss (@BradMossEsq) February 10, 2019

Horas mais tarde, no seu perfil de Twitter, Pete Hegseth disse estar apenas a ser irónico e citou o presidente norte-americano, Donald Trump, ao dizer que a “imprensa é hipócrita e raivosa”. Ao USA Today, Hegseth, disse não ser “obsessivo a toda a hora” numa “sociedade em que as pessoas se desinfetam 19 mil vezes por dia e acham que isso vai salvar a vida delas”. Pete Hegseth lamentou ainda que a opinião pública veja “tudo de forma séria e literal”.

O tema ganhou ainda mais relevância nas redes sociais tendo em conta que o presidente norte-americano já admitiu ser germofóbico, tendo chegado a escrever um livro da sua autoria – “The Art of Comeback” (1997) – que “uma das maldições da sociedade americana é o simples ato de apertar as mãos. Eu sinto-me muito melhor depois de lavar as mãos, o que faço o máximo possível”, disse o agora presidente.

A acreditar em Pete Hegseth, o apresentador não será muito sensível aos conselhos do Centro para o Controlo e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos da América que diz: “Uma das melhores maneiras para remover germes, evitar doenças e prevenir a difusão de vírus é através da lavagem das mãos”.

Pete Hegseth foi militar com serviço cumprido no Iraque e em Cuba tendo feito parte de grupos ligados aos veteranos de guerra. Em 2012 entrou na corrida às primárias republicanas no Minnesota, tendo saído derrotado. Mais tarde entrou na Fox News como analista militar e em Setembro de 2017 levantou polémica ao conduzir uma entrevista a Donald Trump em que o presidente norte-americano teceu várias considerações falsas sem o contraditório de Hegseth.

Abusos na Igreja

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
5
1