observador.ptobservador.pt - 12 fev 14:13

Crédito à habitação às famílias sobe pelo 3.º mês consecutivo para 903 milhões de euros

Crédito à habitação às famílias sobe pelo 3.º mês consecutivo para 903 milhões de euros

Apesar dos avisos do Banco de Portugal, conta-se já com 9,835 mil milhões de euros emprestados desde o início do ano, mais 19,1% do que em 2017.

Os empréstimos concedidos pelos bancos a particulares para habitação voltaram a subir em dezembro, apesar dos avisos do Banco de Portugal (BdP), totalizando os 903 milhões de euros, segundo os dados esta terça-feira divulgados pela instituição.

De acordo com a informação mais atualizada do BdP relativa a empréstimos e depósitos bancários, foram concedidos 903 milhões de euros pelos bancos às famílias para empréstimos à habitação em dezembro, mais do que os 822 milhões de euros de novembro, mês em que foi igualmente observada uma subida mensal, e mais do que os 819 milhões de euros concedidos em dezembro de 2017.

Desde o início do ano foram já emprestados 9,835 mil milhões de euros, mais 19,1% do que em 2017. Esta subida acontece depois de, em julho, terem entrado em vigor as novas regras do BdP que criam restrições à concessão de novos créditos à habitação e ao consumo, estabelecendo, por exemplo, que as famílias apenas podem gastar metade do seu rendimento com empréstimos bancários.

Apesar de não serem de cumprimento obrigatório, os bancos que não as cumprirem as novas regras têm de explicar ao supervisor porque não o fizeram. O governador do BdP, Carlos Costa, também avisou em maio, no parlamento, que se os bancos não respeitarem as regras poderão passar de recomendações a ordens vinculativas.

De acordo com dados também esta terça-feira divulgados, as taxas de juro de novas operações de empréstimos a particulares continuaram a apresentar, em 2018, uma tendência decrescente, tendo atingido novos mínimos históricos em vários segmentos.

Nestas, a taxa de juro média foi de 1,41%, reduzindo 16 pontos base relativamente a dezembro de 2017. No crédito ao consumo e no crédito para outros fins, as taxas de juro médias foram de 6,77% (6,88% em dezembro de 2017) e de 3,75% (3,26% em dezembro de 2017), respetivamente. Em dezembro de 2018, a taxa do crédito ao consumo registou um mínimo histórico.

Relativamente ao crédito ao consumo, em dezembro, foram emprestados 396 milhões de euros, o que compara com os 382 milhões de euros concedidos um mês antes. No total, em 2018, as novas operações de crédito ao consumo ascenderam a 4,7 mil milhões de euros, mais 10,3% do que em 2017.

Já as novas operações de crédito para outros fins atingiram os 182 milhões de euros em dezembro, acima dos 148 milhões de euros concedidos em novembro. No acumulado do ano, as novas operações totalizaram 1,823 mil milhões de euros.

Nas empresas, em 2018, o volume de novos empréstimos a sociedades não financeiras totalizou os 31,6 mil milhões de euros, o que representa um acréscimo de 2,7 mil milhões de euros em relação a 2017, invertendo a tendência de decréscimo que se verificava desde 2014, sinaliza o BdP.

Abusos na Igreja

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
4
1