observador.ptobservador.pt - 14 jan 13:04

Bruno Lage é o treinador do Benfica até ao final da temporada. “É a primeira opção”, garante Vieira

Bruno Lage é o treinador do Benfica até ao final da temporada. “É a primeira opção”, garante Vieira

Bruno Lage, até agora treinador interino, vai manter-se no comando técnico do Benfica até ao final da temporada. Vieira garante que não contactou qualquer treinador que Lage é "a primeira opção".

Bruno Lage vai ser o treinador do Benfica até ao final da temporada. Os encarnados confirmaram à CMVM a manutenção do treinador no comando da equipa principal e Luís Filipe Vieira fez uma curta declaração à comunicação social, antes da antevisão de Lage ao jogo desta terça-feira com o V. Guimarães, onde agradeceu o contributo de Rui Vitória e garantiu que não contactou qualquer treinador durante este período de quase duas semanas desde a saída do agora técnico do Al Nassr.

“Vamos falar do presente e do futuro. O que está para trás, está para trás mesmo. Estamos muitos gratos a Rui Vitória pelos títulos que nos deu e também acho que ele está feliz pelo que fez connosco. Depois, nunca contactámos nenhum empresário, nenhum treinador, desde a primeira hora. O Benfica não contactou A, B, C. Não sei quem vos deu essa informação mas enganou-vos. Não sei quem é que fez essa história. A primeira opção é este senhor que está aqui ao meu lado: Bruno Lage. Ele está identificado com a nossa casa, a nossa causa, a do Sport Lisboa e Benfica, e o objetivo é ganhar tudo aquilo em que estamos. É pedir o máximo de apoio a todos os benfiquistas, à procura dos objetivos que nós ansiamos. Queremos ser felizes e merecemos ser felizes”, disse Luís Filipe Vieira aos jornalistas, antes da conferência de imprensa de antevisão do jogo desta terça-feira com o V. Guimarães, a contar para os quartos de final da Taça de Portugal.

De seguida, Bruno Lage garantiu estar “orgulhoso” pelo percurso feito no Benfica e lembrou que “já tem 42 anos”. “Estou muito orgulhoso pelo meu percurso nesta casa. Começo por agradecer ao presidente, e que a formação também já chegou aos treinadores e não só aos jogadores. Também chegámos cá acima. Sou um bocadinho terra-a-terra: quando estás realizado, tudo o que vier é um acréscimo. Tenho 42 anos, sou pai, apesar de muita gente me tratar como um rapaz. Eu queria ser professor de educação física, mas depois, com a chegada ao Benfica, as coisas foram acontecendo”, afirmou o treinador encarnado, que revelou ainda que viu no “olhar dos jogadores” que estes o veem como “um líder”.

“A Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD informa, nos termos e para o efeito do disposto no artigo 248.º-A do Código dos Valores Mobiliários, que Bruno Miguel Silva do Nascimento assume, a título definitivo, as funções de treinador da equipa principal de futebol”, comunicou o clube à CMVM. Os rumores de que Bruno Lage poderia permanecer no cargo até ao final da época começaram na passada quarta-feira, quando a TVI avançou que Luís Filipe Vieira pretendia garantir estabilidade à equipa e estava apenas à espera do resultado do jogo de sexta-feira, frente ao Santa Clara, para tomar a decisão final. Os encarnados foram aos Açores vencer por 0-2 e o interino que agora passou a efetivo somou a segunda vitória consecutiva em dois jogos no comando técnico da equipa principal.

Agora, menos de duas semanas depois de ter substituído Rui Vitória, Bruno Lage assume a orientação permanente do Benfica e termina a novela que envolveu nomes como Luís Castro, José Mourinho e Jorge Jesus. Logo no dia em que a saída de Rui Vitória se tornou oficial, o Benfica remeteu qualquer anúncio sobre a contratação de um novo treinador para a semana seguinte: à hipótese forte de um regresso de Jorge Jesus — que ganhava força com a possibilidade de rescisão do técnico português com o Al Hilal — juntou-se o nome de Luís Castro, atualmente no V. Guimarães, que recentemente rejeitou uma proposta dos ingleses do Reading, e ainda o de José Mourinho, para quem Luís Filipe Vieira garantiu “ter dinheiro” se este pretendesse voltar a Portugal. A confiança em Bruno Lage, que alcançou uma reviravolta louvável no jogo de estreia, terá levado o presidente encarnado a ponderar a continuidade do até aqui treinador da equipa B: facto que se alia, contudo, à dificuldade em contratar um nome de topo que cumpra os requisitos exigidos por Vieira.

Quanto à saída de Rui Vitória, depois da forma como foi gerida toda a situação há pouco mais de um mês, percebeu-se que existe um especial cuidado com os próximos passos a seguir na Luz. Vieira, que teve de voltar atrás na decisão que tomou quase sozinho de manter Rui Vitória, sabe bem o que quer e quem quer mas também tem noção do peso que a decisão, qualquer que seja, irá ter — tanto para o Benfica como no seu próprio mandato. Em paralelo, e tal como tinha acontecido no final de novembro, o líder encarnado entende que as más exibições que se foram sucedendo não se devem apenas a Vitória.

Rui Vitória, técnico que se sagrou bicampeão pelo Benfica e ganhou seis títulos nas últimas três épocas e meia, acabou por não resistir à derrota sofrida pelos encarnados em Portimão por 2-0. “A Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD informa, nos termos e para o efeito do disposto no artigo 248.º-A do Código dos Valores Mobiliários, que chegou a um princípio de acordo com o treinador Rui Carlos Pinho da Vitória para a rescisão do contrato de trabalho desportivo com efeitos imediatos”, comunicou o Benfica à CMVM pouco depois das 20h30 do dia 3 de janeiro, cerca de 15 minutos depois de começarem a surgir as primeiras notícias sobre a possível saída.

6
1